Deuteronômio 33

A Bênção de Moisés

Esta é a bênção com a qual Moisés, homem de Deus, abençoou os israelitas antes da sua morte. Ele disse:

“O Senhor veio do Sinai
e alvoreceu sobre eles desde o Seir,
resplandeceu desde o monte Parã.
Veio com miríades de santos desde o sul,
    desde as encostas de suas montanhas.
Certamente és tu que amas o povo;
    todos os santos estão em tuas mãos.
A teus pés todos eles se prostram
    e de ti recebem instrução,
a lei que Moisés nos deu,
a herança da assembléia de Jacó.
Ele era rei sobre Jesurum,
    quando os chefes do povo se reuniam,
    juntamente com as tribos de Israel.

“Que Rúben viva e não morra,
    mesmo sendo poucos os seus homens”.

E disse a respeito de Judá:

“Ouve, ó Senhor, o grito de Judá;
    traze-o para o seu povo.
Que as suas próprias mãos
    sejam suficientes,
e que haja auxílio
    contra os seus adversários!”

A respeito de Levi disse:

“O teu Urim e o teu Tumim pertencem
    ao homem a quem favoreceste.
Tu o provaste em Massá;
    disputaste com ele
junto às águas de Meribá.
Levi disse do seu pai e da sua mãe:
    ‘Não tenho consideração por eles’.
Não reconheceu os seus irmãos,
    nem conheceu os próprios filhos,
apesar de que guardaram a tua palavra
    e observaram a tua aliança.
Ele ensina as tuas ordenanças a Jacó
    e a tua lei a Israel.
Ele te oferece incenso
    e holocaustos completos no teu altar.
Abençoa todos os seus esforços,
    ó Senhor,
e aprova a obra das suas mãos.
Despedaça os lombos
    dos seus adversários,
dos que o odeiam,
    sejam quem forem”.

A respeito de Benjamim disse:

“Que o amado do Senhor
    descanse nele em segurança,
pois ele o protege o tempo inteiro,
e aquele a quem o Senhor ama
    descansa nos seus braços”.

A respeito de José disse:

“Que o Senhor abençoe a sua terra
    com o precioso orvalho
    que vem de cima, do céu,
e com as águas das profundezas;
com o melhor que o sol amadurece
e com o melhor que a lua possa dar;
com as dádivas mais bem escolhidas
    dos montes antigos
e com a fertilidade das colinas eternas;
com os melhores frutos da terra
    e a sua plenitude,
e com o favor daquele
    que apareceu na sarça ardente.
Que tudo isso repouse
    sobre a cabeça de José,
sobre a fronte do escolhido
    entre os seus irmãos.
É majestoso como a primeira cria
de um touro;
seus chifres são os chifres
    de um boi selvagem,
com os quais ferirá as nações
    até os confins da terra.
Assim são as dezenas de milhares
    de Efraim;
assim são os milhares de Manassés”.

A respeito de Zebulom disse:

“Alegre-se, Zebulom,
    em suas viagens,
e você, Issacar, em suas tendas.
Eles convocarão povos para o monte
    e ali oferecerão sacrifícios de justiça;
farão um banquete
    com a riqueza dos mares,
com os tesouros ocultos das praias”.

A respeito de Gade disse:

“Bendito é aquele
    que amplia os domínios de Gade!
Gade fica à espreita como um leão;
    despedaça um braço e também a cabeça.
Escolheu para si o melhor;
    a porção do líder lhe foi reservada.
Tornou-se o chefe do povo
    e executou a justa vontade do Senhor
e os seus juízos sobre Israel”.

A respeito de Dã disse:

“Dã é um filhote de leão,
    que vem saltando desde Basã”.

A respeito de Naftali disse:

“Naftali tem fartura do favor do Senhor
    e está repleto de suas bênçãos;
suas posses estendem-se para o sul,
    em direção ao mar”.

A respeito de Aser disse:

“Bendito é Aser entre os filhos;
seja ele favorecido por seus irmãos,
    e banhe os seus pés no azeite!
Sejam de ferro e bronze
    as trancas das suas portas,
e dure a sua força como os seus dias.

“Não há ninguém
    como o Deus de Jesurum,
que cavalga os céus para ajudá-lo,
e cavalga as nuvens em sua majestade!
O Deus eterno é o seu refúgio,
    e para segurá-lo
    estão os braços eternos.
Ele expulsará os inimigos
    da sua presença,
    dizendo: ‘Destrua-os!’
Somente Israel viverá em segurança;
    a fonte de Jacó está segura
numa terra de trigo e de vinho novo,
    onde os céus gotejam orvalho.
Como você é feliz, Israel!
Quem é como você,
    povo salvo pelo Senhor?
Ele é o seu abrigo, o seu ajudador
    e a sua espada gloriosa.
Os seus inimigos se encolherão
    diante de você,
mas você pisará os seus altos”.

Read More of Deuteronômio 33

Deuteronômio 34

A Morte de Moisés

Então, das campinas de Moabe Moisés subiu ao monte Nebo, ao topo do Pisga, em frente de Jericó. Ali o Senhor lhe mostrou a terra toda: de Gileade a Dã, toda a região de Naftali, o território de Efraim e Manassés, toda a terra de Judá até o mar ocidental, o Neguebe e toda a região que vai do vale de Jericó, a cidade das Palmeiras, até Zoar. E o Senhor lhe disse: “Esta é a terra que prometi sob juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, quando lhes disse: Eu a darei a seus descendentes. Permiti que você a visse com os seus próprios olhos, mas você não atravessará o rio, não entrará nela”.

Moisés, o servo do Senhor, morreu ali, em Moabe, como o Senhor dissera. Ele o sepultou em Moabe, no vale que fica diante de Bete-Peor, mas até hoje ninguém sabe onde está localizado seu túmulo. Moisés tinha cento e vinte anos de idade quando morreu; todavia, nem os seus olhos nem o seu vigor tinham se enfraquecido. Os israelitas choraram Moisés nas campinas de Moabe durante trinta dias, até passar o período de pranto e luto.

Ora, Josué, filho de Num, estava cheio do Espírito de sabedoria, porque Moisés tinha imposto as suas mãos sobre ele. De modo que os israelitas lhe obedeceram e fizeram o que o Senhor tinha ordenado a Moisés.

Em Israel nunca mais se levantou profeta como Moisés, a quem o Senhor conheceu face a face, e que fez todos aqueles sinais e maravilhas que o Senhor o tinha enviado para fazer no Egito, contra o faraó, contra todos os seus servos e contra toda a sua terra. Pois ninguém jamais mostrou tamanho poder como Moisés nem executou os feitos temíveis que Moisés realizou aos olhos de todo o Israel.

Read More of Deuteronômio 34