O Livro

Daniel 1

A preparação de Daniel na Babilónia

11/2 Três anos depois do rei Joaquim ter começado a reinar em Judá, o rei da Babilónia, Nabucodonozor, atacou Jerusalém com os seus exércitos, e o Senhor deu-lhe a vitória sobre Joaquim. Antes de regressar a Babilónia, tirou algumas das taças sagradas do templo de Deus, e pô-las depois no tesouro do seu deus.

3/4 Então mandou a Aspenaz, que era o chefe do pessoal de serviço no palácio real, que seleccionasse alguns dos jovens judeus trazidos como cativos — mancebos de linhagem real, pertencentes à nobreza de Judá — para lhes ensinar a língua dos caldeus e a sua cultura. “Escolham-me uns moços fortes, saudáveis, de bela aparência”, disse ele, “que sejam instruídos em todos os domínios do saber, com uma boa cultura geral; e que dessa forma possam estar preparados para viver no palácio”.

O rei ordenou que lhes dessem do melhor alimento a comer e do melhor vinho a beber, de tudo aquilo que lhe era servido a ele próprio; e isso durante três anos, para que no final desse período de preparação viessem a ser seus conselheiros.

6/7 Daniel, Hananias, Misael e Azarias foram quatro dos jovens escolhidos de todas as tribos de Judá. O responsável pela sua formação pôs-lhes outros nomes, nomes babilónicos: A Daniel chamou Beltessazar; a Hananias, Sadraque; a Misael, Mesaque e a Azarias, Abednego.

Mas Daniel assentou no seu coração não se contaminar com o alimento e o vinho que o monarca lhes dava. Pediu então a esse responsável que lhes permitisse alimentarem-se antes de outras coisas. Aconteceu até que Deus fez que esse homem tivesse uma certa simpatia especial para com Daniel e usasse de uma certa tolerância. 10 No entanto ficou alarmado com a sugestão de Daniel: “Tenho receio que vocês fiquem com um aspecto mais débil quando comparados com os outros da vossa idade, e que o rei me mande decapitar por ter negligenciado as minhas responsabilidades.”

11/13 Daniel foi ter com o mordomo, a quem o responsável tinha encarregado de cuidar de Daniel, de Hananias, de Misael e de Azarias, sugerindo-lhe que durante dez dias os deixasse submeterem-se a um regime de apenas vegetais e água; no final desse período o mordomo poderia comparar a aparência deles com a dos outros que comiam da comida do rei e logo veria se sim ou não continuariam com esse regime alimentar.

14/16 O mordomo acabou por concordar. No fim dos dez dias, Daniel e os seus três amigos pareciam mais saudáveis e mais bem alimentados do que os jovens que tinham comido a comida real. O mordomo passou assim a dar-lhes unicamente vegetais e água, retirando-lhes da alimentação os outros ricos pratos e os vinhos.

17 Deus concedeu a estes quatro moços uma grande capacidade de aprendizagem, de tal forma que em breve dominavam já os conhecimentos e a cultura daquele tempo. Deus deu mesmo a Daniel uma especial competência para compreender o significado de sonhos e de visões.

18/19 Quando aquele período de três anos de preparação e estudo se completou, o responsável nomeado pelo soberano trouxe todos os mancebos à presença deste, para serem examinados. O rei Nabucodonozor conversou longamente com cada um deles; mas aqueles que mais o impressionaram foram sem dúvida Daniel, Hananias, Misael e Azarias. E passaram a ocupar o seu lugar na equipa de conselheiros reais. 20 E em todos os assuntos em que se requeria uma informação exacta e a emissão de pareceres inteligentes, o monarca achava os juízos destes jovens sempre dez vezes melhores do que todos os outros sábios e cientistas do seu reino.

21 Daniel manteve-se nesse lugar de conselheiro do rei até ao primeiro ano do reinado de Ciro.

The Message

Daniel 1

Daniel Was Gifted by God

11-2 It was the third year of King Jehoiakim’s reign in Judah when King Nebuchadnezzar of Babylon declared war on Jerusalem and besieged the city. The Master handed King Jehoiakim of Judah over to him, along with some of the furnishings from the Temple of God. Nebuchadnezzar took king and furnishings to the country of Babylon, the ancient Shinar. He put the furnishings in the sacred treasury.

3-5 The king told Ashpenaz, head of the palace staff, to get some Israelites from the royal family and nobility—young men who were healthy and handsome, intelligent and well-educated, good prospects for leadership positions in the government, perfect specimens!—and indoctrinate them in the Babylonian language and the lore of magic and fortunetelling. The king then ordered that they be served from the same menu as the royal table—the best food, the finest wine. After three years of training they would be given positions in the king’s court.

6-7 Four young men from Judah—Daniel, Hananiah, Mishael, and Azariah—were among those selected. The head of the palace staff gave them Babylonian names: Daniel was named Belteshazzar, Hananiah was named Shadrach, Mishael was named Meshach, Azariah was named Abednego.

8-10 But Daniel determined that he would not defile himself by eating the king’s food or drinking his wine, so he asked the head of the palace staff to exempt him from the royal diet. The head of the palace staff, by God’s grace, liked Daniel, but he warned him, “I’m afraid of what my master the king will do. He is the one who assigned this diet and if he sees that you are not as healthy as the rest, he’ll have my head!”

11-13 But Daniel appealed to a steward who had been assigned by the head of the palace staff to be in charge of Daniel, Hananiah, Mishael, and Azariah: “Try us out for ten days on a simple diet of vegetables and water. Then compare us with the young men who eat from the royal menu. Make your decision on the basis of what you see.”

14-16 The steward agreed to do it and fed them vegetables and water for ten days. At the end of the ten days they looked better and more robust than all the others who had been eating from the royal menu. So the steward continued to exempt them from the royal menu of food and drink and served them only vegetables.

17-19 God gave these four young men knowledge and skill in both books and life. In addition, Daniel was gifted in understanding all sorts of visions and dreams. At the end of the time set by the king for their training, the head of the royal staff brought them in to Nebuchadnezzar. When the king interviewed them, he found them far superior to all the other young men. None were a match for Daniel, Hananiah, Mishael, and Azariah.

19-20 And so they took their place in the king’s service. Whenever the king consulted them on anything, on books or on life, he found them ten times better than all the magicians and enchanters in his kingdom put together.

21 Daniel continued in the king’s service until the first year in the reign of King Cyrus.