Nova Versão Internacional

Salmos 141

Salmo 141

Salmo davídico.

Clamo a ti, Senhor; vem depressa!
Escuta a minha voz quando clamo a ti.
Seja a minha oração
    como incenso diante de ti,
e o levantar das minhas mãos,
    como a oferta da tarde.

Coloca, Senhor,
    uma guarda à minha boca;
vigia a porta de meus lábios.
Não permitas que o meu coração
    se volte para o mal,
nem que eu me envolva em práticas perversas
    com os malfeitores.
Que eu nunca participe dos seus banquetes!

Fira-me o justo com amor leal
    e me repreenda,
mas não perfume a minha cabeça
    o óleo do ímpio,[a]
pois a minha oração
    é contra as práticas dos malfeitores.
Quando eles caírem nas mãos da Rocha,
    o juiz deles,
ouvirão as minhas palavras com apreço.[b]
Como a terra é arada e fendida,
assim foram espalhados os seus ossos
    à entrada da sepultura[c].

Mas os meus olhos estão fixos em ti,
    ó Soberano Senhor;
em ti me refugio;
    não me entregues à morte.
Guarda-me das armadilhas
    que prepararam contra mim,
das ciladas dos que praticam o mal.
10 Caiam os ímpios em sua própria rede,
    enquanto eu escapo ileso.

Notas al pie

  1. 141.5 Ou Fira-me o justo e me repreenda o piedoso; será como óleo fino que minha cabeça não recusará,
  2. 141.6 Ou Quando os seus governantes forem lançados dos penhascos, todos saberão que minhas palavras eram verdadeiras.
  3. 141.7 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte.

New International Version

Psalm 141

Psalm 141

A psalm of David.

I call to you, Lord, come quickly to me;
    hear me when I call to you.
May my prayer be set before you like incense;
    may the lifting up of my hands be like the evening sacrifice.

Set a guard over my mouth, Lord;
    keep watch over the door of my lips.
Do not let my heart be drawn to what is evil
    so that I take part in wicked deeds
along with those who are evildoers;
    do not let me eat their delicacies.

Let a righteous man strike me—that is a kindness;
    let him rebuke me—that is oil on my head.
My head will not refuse it,
    for my prayer will still be against the deeds of evildoers.

Their rulers will be thrown down from the cliffs,
    and the wicked will learn that my words were well spoken.
They will say, “As one plows and breaks up the earth,
    so our bones have been scattered at the mouth of the grave.”

But my eyes are fixed on you, Sovereign Lord;
    in you I take refuge—do not give me over to death.
Keep me safe from the traps set by evildoers,
    from the snares they have laid for me.
10 Let the wicked fall into their own nets,
    while I pass by in safety.