O Livro

Números 13

Envio de exploradores a Canaã

1O Senhor deu a Moisés as seguintes instruções: “Manda homens que espreitem e observem secretamente a terra de Canaã, a terra que vou dar a Israel; manda um dos chefes de cada tribo.”

3-4 Os israelitas estavam nessa altura acampados no deserto de Parã. Moisés fez como o Senhor lhe ordenara e mandou doze líderes de tribos:

Samua, filho de Zacur, da tribo de Rúben;

Safate, filho de Hori, da tribo de Simeão;

Calebe, filho de Jefoné, da tribo de Judá;

Igal, filho de José, da tribo de Issacar;

Oseias, filho de Num, da tribo de Efraim;

Palti, filho de Rafu, da tribo de Benjamim;

10 Gadiel, filho de Sodi, da tribo de Zebulão;

11 Gadi, filho de Susi, da tribo de José, ou seja, da tribo de Manassés;

12 Amiel, filho de Gemali, da tribo de Dan;

13 Setur, filho de Micael, da tribo de Aser;

14 Nabi, filho de Vofsi, da tribo de Naftali;

15 Geuel, filho de Maqui, da tribo de Gad.

16 Foi nessa altura que Moisés mudou o nome de Oseias, da tribo de Efraim, em Josué.

17 Ao enviá-los, para irem explorar a terra de Canaã, Moisés deu-lhe estas instruções: “Subam pelo Negueve e depois vão na direção do norte, até às montanhas. 18 Vejam como é a terra; observem como é a gente que lá vive, se são fortes ou fracos, se são muitos ou poucos; 19 se a terra é fértil ou pobre; como são as cidades, se são fortificadas ou abertas; 20 se a terra é rica ou pobre, se há muitas árvores. Tragam algumas amostras dos frutos da terra que encontrarem.” Aquele tempo, aliás, era o das primeiras vindimas.

21 E assim eles partiram para espiar a terra, desde o deserto de Zim até Reobe, até perto de Hamate. 22 Indo na direção do norte, passaram primeiro pelo Negueve e chegaram a Hebrom. Ali viram os aimanitas, os sesaitas, os talmaitas, tudo famílias descendentes de Anaque. Aliás Hebrom era muito antiga, tendo sido fundada sete anos antes de Zoã do Egito. 23 Então chegaram a um sítio que agora é conhecido pelo vale de Escol, onde cortaram um cacho de uvas apenas, mas que era tão grande que foram precisos dois homens para o transportar numa vara ao ombro de cada um! Levaram também romãs e figos. 24 Os Israelitas chamaram àquele lugar o vale de Escol cacho, por causa do cacho de uvas que de lá trouxeram.

O relatório da expedição

25 Quarenta dias mais tarde regressaram. 26 E fizeram um relatório a Moisés, a Aarão e a todo o povo de Israel, ali no deserto de Parã, em Cades, e mostraram-lhes a fruta que tinham trazido. 27 Foi este o relato que fizeram: “Chegámos à terra que nos mandaram observar e verificámos que é realmente uma terra magnífica, uma terra que na verdade jorra leite e mel. Esta fruta que de lá trouxemos é a prova disso. 28 Mas o povo que lá vive é muito forte, têm cidades fortificadas muito grandes; mais ainda, vimos ali os gigantes de Anaque! 29 Os amalequitas vivem na região do Negueve, no sul, e nas colinas estão os hititas, os jebuseus e os amorreus; ao longo da costa do mar Mediterrâneo e no vale do Jordão estão os cananeus.”

30 Então Calebe tratou de tranquilizar o povo enquanto estavam todos ainda na presença de Moisés: “Vamos e tomemos imediatamente posse da terra, com toda a confiança, porque seremos bem capazes de a conquistar!”

31 “Não, nunca conseguiremos!”, diziam por sua vez os outros espias. “É gente muito mais forte do que nós. Esmagavam-nos num instante.”

32 Era pois negativo o relatório dos espias: “A terra está cheia de gente guerreira, fortemente defendida. 33 Além disso, até lá vimos alguns dos descendentes do Anaque, a antiga raça de gigantes. Nós parecíamos gafanhotos ao lado deles, tão altos e fortes eles eram!”