O Livro

João 13

Jesus lava os pés aos discípulos

1Antes da festa da Páscoa, Jesus já sabia que aquela seria a sua última noite neste mundo antes de voltar para junto do Pai. Quanto aos discípulos que tinha no mundo, amou-os sempre da forma mais perfeita até ao fim! Decorria o jantar e o Diabo já convencera Judas Iscariotes, filho de Simão, a traí-lo. Jesus sabia que o Pai colocara tudo nas suas mãos e que viera de Deus e para Deus voltaria.

Depois da ceia, levantou-se da mesa, despiu a túnica e pôs uma toalha à volta da cintura. E, deitando água numa bacia, começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha.

Quando chegou a vez de Simão Pedro, este observou: “Mestre, não devias lavar-me os pés.”

Jesus retorquiu: “Agora não entendes o que faço, mas virá o dia em que compreenderás.”

“Não!”, protestou Pedro. “Não consinto que me laves os pés!”

“Se não deixares, não poderás ter parte comigo.”

Simão Pedro respondeu: “Senhor, então não só os pés, mas as mãos e a cabeça!”

10 Jesus respondeu: “Aquele que se lavou por completo só precisa de lavar os pés para se manter limpo. Agora estás limpo, mas nem todos aqui estão limpos.”

11 Pois Jesus sabia quem o ia trair. Por isso, disse: “Nem todos estão limpos.”

12 Depois de lhes ter lavado os pés, tornou a vestir a túnica, sentou-se e perguntou-lhes: “Compreendem o que eu fiz? 13 Chamam-me Mestre e Senhor, e fazem bem, porque é verdade. 14 E uma vez que eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também devem lavar os pés uns aos outros. 15 Dei-vos o exemplo! Façam como eu vos fiz! 16 É realmente como vos digo: o servo não é maior do que o seu senhor, nem o mensageiro maior do que quem o enviou! 17 Agora que sabem estas coisas, serão felizes se as praticarem.

Jesus fala da traição

(Mt 26.17-30; Mc 14.12-26; Lc 22.7-23)

18 Ao dizer estas coisas, não me refiro a todos sem exceção, porque vos conheço bem. Eu próprio vos escolhi! As Escrituras dizem: ‘O que comia do meu pão, até esse me trai’[a]. Isto cumprir-se-á. 19 Digo-vos isto agora para que, quando acontecer, possam crer que eu sou quem sou. 20 É realmente como vos digo: quem receber quem eu enviar é a mim que recebe. E quem me receber recebe quem me enviou.”

21 Nesse momento, Jesus começou a angustiar-se e exclamou: “É realmente como vos digo: um de vocês vai trair-me!”

22 Os discípulos entreolharam-se sem saberem a quem se referia. 23 Um deles, que estava à mesa, ao lado de Jesus, era o seu amigo mais íntimo. 24 Simão Pedro fez-lhe sinal para que lhe perguntasse de quem falava. 25 Então inclinando-se para Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é?”

26 Jesus disse: “Aquele a quem eu der o pão ensopado no molho.” Depois de ter molhado um pedaço de pão, deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. 27 Logo que Judas o comeu, Satanás entrou nele e Jesus disse-lhe: “O que pretendes fazer fá-lo já.” 28 Nenhum dos outros que estavam à mesa percebeu com que propósito Jesus lhe dissera aquilo. 29 Alguns pensavam que, como Judas era o tesoureiro, Jesus o mandara pagar a refeição ou dar dinheiro aos pobres. 30 Judas saiu imediatamente e desapareceu na noite.

Jesus prediz que Pedro o vai negar

(Mt 26.31-35; Mc 14.27-31; Lc 22.31-34)

31 Logo depois, Jesus disse: “Chegou a hora da glória do Filho do Homem e Deus receberá glória por ele. 32 E se a glória de Deus é manifestada pelo seu Filho, Deus glorificá-lo-á em si próprio e glorificá-lo-á em breve. 33 Meus queridos filhos, vou estar convosco por pouco tempo mais! E então, apesar de me procurarem, para onde eu vou não podem vocês ir, tal como disse aos judeus. 34 Assim, dou-vos agora um novo mandamento: que se amem uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim devem amar-se uns aos outros. 35 O vosso amor uns pelos outros provará ao mundo que são meus discípulos.”

Jesus prediz a negação do Pedro

(Mt 26.33-35; Mc 14.29-31; Lc 22.33-34)

36 Simão Pedro perguntou: “Senhor, para onde vais?”

E Jesus replicou: “Agora não podes ir comigo, mas seguir-me-ás mais tarde.”

37 “Porque é que não posso ir agora, se estou pronto a morrer por ti?”

38 Jesus respondeu: “Morrer por mim? Antes que o galo cante de madrugada, três vezes negarás que me conheces!”

Footnotes

  1. 13.18 Sl 41.9. Literalmente, levantou contra mim o seu calcanhar.