O Livro

Deuteronômio 28

Bênção para a obediência

(Lv 26.1-13; Dt 7.12-16)

1Se obedecerem inteiramente a estes mandamentos do Senhor, vosso Deus, a todas estas leis que vos estou a declarar hoje, o Senhor, vosso Deus, fará de vocês a maior nação da Terra. E são estas as bênçãos que virão sobre vocês:

Serão abençoados nas povoações, serão abençoados nos campos.

Terão muitos filhos, serão abundantes as vossas colheitas, terão grandes rebanhos e manadas.

Será abençoado o teu cesto e a tua masseira de farinha.

Serão abençoados quando chegarem a um sítio e quando partirem para outro local.

O Senhor derrotará os vossos inimigos na vossa presença; marcharão juntos contra vocês, mas depois fugirão e se dispersarão em sete direções. O Senhor vos abençoará com boas colheitas e com gado saudável, fazendo prosperar tudo quanto fizerem ao chegar à terra que o Senhor, vosso Deus, vos dá. Fará de vocês um povo santo que lhe seja consagrado. Isto é o que o Senhor, vosso Deus, vos promete se lhe obedecerem e andarem nos seus caminhos. 10 Todas as nações do mundo constatarão que pertencem ao Senhor e sentirão respeito por vocês.

11 O Senhor dar-vos-á abundância de boas coisas na terra como prometeu aos vossos antepassados: muitos filhos, muito gado e ricas colheitas. 12 Abrirá para os seus tesouros maravilhosos de chuvas dos céus, para vos dar belas colheitas em todas as épocas. Abençoará tudo quanto fizerem e poderão ceder empréstimos a muitas outras nações estrangeiras, sem terem de pedir emprestado a outros. 13 Se obedecerem aos mandamentos do Senhor, vosso Deus, que hoje vos dou, o Senhor vos porá à cabeça e não na cauda; terão sempre a supremacia. 14 No entanto, cada uma destas bênçãos depende de não se desviarem nem para um lado nem para o outro das leis que hoje vos dou e de nunca adorarem outros deuses.

Consequências da desobediência

(Lv 26.14-39)

15 Contudo, se não quiserem ouvir o Senhor, vosso Deus, nem obedecer a estas leis que hoje vos estou a dar, então todas estas maldições cairão sobre vocês.

16 Serão malditos nas povoações, serão malditos nos campos.

17 Será maldito o teu cesto e a tua masseira de farinha.

18 Serão amaldiçoados com madres estéreis, as vossas searas serão malditas, também o vosso gado e os vossos rebanhos serão malditos.

19 Serão amaldiçoados quando chegarem a qualquer sítio ou quando partirem.

20 Será o próprio Senhor que vos amaldiçoará. Andarão em confusão e tudo o que empreenderem falhará. Até que por fim serão destruídos por causa de se terem esquecido dele. 21 Mandar-vos-á a doença até que sejam destruídos da face da terra de que vão tomar posse agora. 22 Mandar-vos-á a tuberculose, febre, infeções, pragas e guerra. Queimará as vossas searas, cobrindo-as de míldio. Todas estas devastações vos perseguirão até que todos pereçam. 23 Os céus por cima parecerão de bronze e a terra debaixo de vocês será como o ferro. 24 A terra ficará seca como o pó, por falta de água, e até as tempestades de pó vos destruirão.

25 O Senhor fará com que sejam destruídos pelos vossos inimigos. Avançarão para a batalha, mas acabarão por fugir perante os inimigos no meio da maior confusão; serão sacudidos dum lado para o outro entre as nações da Terra. 26 Os vossos corpos mortos servirão de alimento às aves de rapina e aos animais selvagens, e não haverá ninguém para os afugentar.

27 O Senhor vos ferirá com úlceras do Egito, com tumores, com escorbuto e com sarna. E para nenhum desses males haverá remédio. 28 Mandar-vos-á loucura, cegueira, terrores e pânico. 29 Em pleno dia andarão às apalpadelas como um cego em plena escuridão. Não prosperarão em nada do que fizerem. Serão continuamente oprimidos e explorados; nada vos salvará.

30 Será um outro indivíduo que virá a casar com a mulher de quem estavam noivos; outra pessoa virá a morar na casa que construíram; outros comerão o fruto das vinhas que plantaram. 31 Os vossos bois serão abatidos contra a vossa vontade, à vossa frente, sem que venham a comer a sua carne. Roubar-vos-ão os jumentos na vossa presença e nunca mais os verão. As vossas ovelhas serão dadas aos vossos inimigos; ninguém quererá dar-vos proteção. 32 Sob os vossos olhos serão os vossos filhos e filhas levados como escravos. O vosso coração ficará despedaçado pela saudade sem conseguirem ir socorrê-los. 33 Uma nação estrangeira, da qual nunca antes tinham ouvido falar, comerá as searas que vos custaram tanto a fazer crescer. Serão sempre oprimidos e esmagados. 34 Ficarão loucos por causa da tragédia que verão à vossa volta. 35 O Senhor vos cobrirá os joelhos e pernas com chagas incuráveis. Realmente, vocês ficarão cobertos da cabeça aos pés.

36 Vocês e o vosso rei serão levados para uma terra que nem vocês nem os vossos antepassados conheceram e durante o exílio chegarão a adorar deuses feitos de madeira e de pedra. 37 Tornar-se-ão objeto de horror, um provérbio, uma fábula entre todas as nações, pois o Senhor vos espalhará.

38 Semearão muito, mas colherão quase nada, visto que os gafanhotos comerão as vossas colheitas. 39 Plantarão vinhas, tratarão delas, mas não chegarão a comer das suas uvas nem a beber do seu vinho, porque serão destruídas por vermes. 40 Plantarão oliveiras por toda a parte, mas não haverá azeite bastante sequer para se ungirem! Porque as árvores perderão as azeitonas antes de estarem maduras. 41 Os vossos filhos e filhas serão levados para serem escravos. 42 Os gafanhotos destruirão as vossas árvores e as vossas vinhas.

43 Os estrangeiros no vosso meio tornar-se-ão cada vez mais ricos, enquanto vocês serão cada vez mais pobres. 44 Serão eles quem vos emprestará aquilo de que precisam e não vocês a eles. Eles estarão à cabeça e vocês na cauda.

45 Todas estas maldições vos seguirão e vos alcançarão, até que sejam destruídos, por terem recusado ouvir o Senhor, vosso Deus, e não terem obedecido aos mandamentos e às leis que vos deu. 46 Estes horrores cairão sobre vocês e os vossos descendentes como um sinal. 47 Tornar-se-ão escravos dos vossos inimigos, por não terem servido com alegria e satisfação o Senhor, vosso Deus, por tudo o que vos deu. 48 O Senhor mandará os vossos inimigos contra vós; terão fome, sede, frio e necessidades em todos os domínios. Um jugo de ferro será posto no vosso pescoço, até que sejam destruídos.

49 O Senhor trará uma nação distante que vos cairá em cima como uma águia; uma nação cuja língua não compreenderão; 50 gente feroz que não terá compaixão nem de velhos nem de novos. 51 Comerão tudo o que é vosso, em casa e nos campos; levarão todo o gado e as colheitas; desaparecerão com os cereias, o vinho novo, o azeite, as crias das vacas e das ovelhas. 52 Essa nação sitiará as vossas cidades e derrubará as muralhas, por mais altas que sejam e por muito que pensem que vos protejem. 53 Chegarão a comer a carne dos vossos próprios filhos e filhas nesses dias terríveis, que hão de vir, em que estarão cercados.

54 Até o mais sensível e delicado se tornará endurecido e mau para com o seu próprio irmão, a sua querida mulher e os filhos que ainda lhe restarem com vida. 55 Recusará mesmo deixá-los partilhar da carne que possa estar a devorar, a carne dos seus próprios filhos, porque sente que morre de fome no meio daquele cerco à cidade. 56 A mulher mais terna e mais branda, aquela que quase nem assenta os pés no chão, recusará repartir com o seu querido marido, filhos e filhas o que tem para comer. 57 Esconderá deles, quando tiver dado à luz, a placenta e a criança que lhe nasceu, para que possa comê-los ela própria; tão terrível será a fome durante esse ataque, e tão terrível a depressão causada pela presença dos inimigos às vossas portas.

58 Se recusarem obedecer a todos os mandamentos desta Lei escritos neste livro, negando-se a temer o nome tremendo e glorioso do Senhor, o vosso Deus, 59 então o Senhor vos enviará chagas perpétuas, a vocês e aos vossos filhos. 60 Mandará todas as doenças e males do Egito que vocês receiam tanto; toda a terra será flagelada dessa maneira. 61 E não será tudo! O Senhor trará sobre vocês toda a espécie de doenças e de pragas que existem, mesmo as que não são mencionadas neste livro da Lei, até que sejam destruídos. 62 Serão poucos os que ficarão vivos depois disto, ainda que tenham sido tão numerosos como as estrelas do firmamento. É o que vos acontecerá se não quiserem ouvir o Senhor, vosso Deus.

63 Da mesma forma que o Senhor se alegrou convosco e fez coisas tão maravilhosas, tendo-vos multiplicado, assim também nesse tempo ele sentir-se-á satisfeito em destruir-vos. E vocês desaparecerão da terra. 64 Porque o Senhor vos espalhará entre as nações, duma extremidade à outra da Terra. Lá adorarão os deuses desses povos pagãos, que nem vocês nem os vossos antepassados conheceram, deuses feitos de madeira e de pedra. 65 Lá entre essas nações não encontrarão repouso; antes vos dará o Senhor constante desassossego interior, escuridão e corpos esgotados pela tristeza e pelo cansaço. As vossas vidas andarão sempre como que suspensas pela dúvida. 66 Viverão noite e dia em temores e nunca chegarão a ter a certeza de poder ver a luz da manhã. 67 Ao amanhecer dirão: “Quem dera que já fosse noite!” E ao cair da noite: “Que venha depressa a manhã!” Isto dirão por causa dos terríveis horrores que vos rodeiam. 68 Então o Senhor vos mandará de novo para o Egito em navios, viagem que vos tinha prometido que nunca mais haveriam de fazer. Lá vender-se-ão aos vossos próprios inimigos como escravos e ninguém quererá comprar-vos.