O Livro

Deuteronômio 16

A Páscoa

(Êx 12.14-20; Lv 23.5-8; Nm 28.16-25)

1Lembrem-se sempre de celebrar a Páscoa durante o mês de Abibe, porque foi numa noite desse mês que o Senhor, o vosso Deus, vos tirou do Egito. O vosso sacrifício de Páscoa será ou um cordeiro ou um boi, oferecido ao Senhor, vosso Deus, no lugar que o Senhor escolher para habitação do seu nome. Comam esse sacrifício com pão sem fermento durante sete dias, para se lembrarem daquele que comeram enquanto escapavam do Egito. Isto é para se lembrarem que deixaram o Egito com tal pressa que não tiveram tempo de deixar o pão fermentar. Lembrem-se desse dia durante toda a vossa vida. Durante sete dias não haverá fermento nas vossas casas; além disso, nada do cordeiro pascal será deixado para a manhã seguinte.

A Páscoa não é para ser celebrada em qualquer das cidades, que o Senhor, vosso Deus, vos dará, mas sim no lugar que o Senhor tiver escolhido para o seu santuário. Celebrem o sacrifício ali, na tarde do dia do aniversário do acontecimento, ao fim do dia, ao pôr-do-sol. Cozam o cordeiro e comam-no, depois voltem para as vossas casas na manhã seguinte. Durante seis dias não comerão pão feito com fermento. No sétimo dia haverá uma reunião solene do povo de cada povoação perante o Senhor, vosso Deus. Não façam qualquer espécie de trabalho nesse dia.

A festa das semanas

(Lv 23.15-22; Nm 28.26-31)

Sete semanas após o começo das colheitas, 10 haverá outra festividade, na presença do Senhor, vosso Deus, chamada a festa das semanas. Nessa altura, tragam uma oferta voluntária que será proporcional em valor à bênção que receberam, de acordo com a colheita. 11 Será uma ocasião de se alegrarem perante o Senhor, vosso Deus, com a vossa família e com todos os da casa, no lugar que ele escolher para habitação do seu nome. Não se esqueçam de incluir os levitas da vossa localidade nessa festa, como também os estrangeiros, as viúvas e os órfãos. Convidem-nos a acompanharem-vos nessa celebração. 12 Lembrem-se que foram escravos no Egito! Por isso, tenham cuidado de seguir à risca este mandamento.

A festa dos tabernáculos

(Lv 23.33-43; Nm 29.12-39)

13 Uma outra celebração será a festa dos tabernáculos que deverá ser realizada durante sete dias, no final da época das colheitas, depois do grão ter sido guardado e o vinho pisado no lagar. 14 Há de ser uma ocasião de se alegrarem juntos, com a vossa família e os vossos escravos. Nunca se esqueçam de convidar também os levitas e os estrangeiros, os órfãos e viúvas da vossa localidade. 15 Durante sete dias celebrarás esta festividade no santuário, no sítio que o Senhor, vosso Deus, tiver escolhido. Será uma oportunidade de expressar profunda gratidão e ação de graças ao Senhor pelas suas bênçãos, representadas numa tão boa colheita e em muitas outras coisas. Será um tempo de grande alegria.

16 Cada homem de Israel deverá apresentar-se ao Senhor, seu Deus, no lugar que ele tiver escolhido, três vezes ao ano, para estas três festas:

a festa dos pães sem fermento,

a festa das semanas,

e a festa dos tabernáculos.

Em cada uma destas ocasiões tragam um presente ao Senhor. 17 Deem o que está nas vossas possibilidades, de acordo com o que o Senhor, vosso Deus, vos abençoou.

Os juízes

18 Designem juízes e funcionários administrativos para todas as cidades que o Senhor, vosso Deus, vos dá. Eles administrarão a justiça em todas as partes da terra. 19 Nunca torçam a justiça em benefício de um rico, por exemplo, nem se deixem nunca comprar por presentes; porque o suborno cega os olhos até dos sábios e transtorna as palavras dos justos. 20 Deve prevalecer só a justiça. É essa a única forma de terem sucesso na terra que o Senhor, vosso Deus, vos dá.

Não à idolatria

21 Nunca ergam altares e imagens de postes ídolos de Achera junto do altar do Senhor, vosso Deus. 22 E nunca levantem pilares religiosos, porque o Senhor, vosso Deus, os aborrece.