O Livro

Êxodo 36

1Todos os outros artistas, com capacidades dadas pelo Senhor, deverão prestar assistência a Bezalel e a Aoliabe na construção e no mobiliário do tabernáculo.”

Moisés chamou Bezalel, Aoliabe e todos os homens capazes, que o Senhor dotou de sabedoria e que se tinham oferecido voluntariamente para ajudar neste trabalho, e mandou que começassem. Moisés entregou-lhes o material oferecido pelo povo, mas este ainda trazia em cada manhã mais ofertas voluntárias. Por fim, todos os que trabalhavam naquela tarefa vieram ter com Moisés e disseram-lhe: “Já temos muito mais do que é necessário para esta obra!” Moisés então enviou uma mensagem, através do campo, anunciando que não eram precisas mais ofertas. E o povo teve mesmo de ser impedido de trazer mais coisas, porque aquilo que eles já tinham era mais do que suficiente para realizar todo o serviço.

O tabernáculo

(Êx 26.1-37)

Os artistas tecelãos fizeram primeiramente dez véus de linho fino retorcido, em azul, púrpura e vermelho, com querubins habilmente bordados. O comprimento de cada véu era de 14 metros e de largura, 2 metros. Eram todos da mesma medida. 10 Cinco destes véus eram ligados entre si, lado a lado, e outros cinco também da mesma maneira, de forma a fazerem duas peças retangulares. 11-12 Cinquenta laços azuis foram cosidos na bainha de cada uma dessas duas longas peças. 13 Depois fizeram-se cinquenta colchetes de ouro para prender os laços, atando assim as duas peças de maneira a formarem um todo único.

14 Por cima desse teto havia uma segunda coberta feita de onze mantas de pelo de cabra, 15 cada uma delas uniformemente com 15 metros de comprimento por 2 de largura. 16 Bezalel juntou cinco destas cobertas, formando uma peça retangular, e as outras seis também as uniu da mesma forma. 17 Depois fez cinquenta laços na bainha dum dos lados de cada uma dessas peças, 18 assim como cinquenta pequenos colchetes de bronze para poder atar os laços uns aos outros, a fim de que as duas peças ficassem bem unidas. 19 A última camada deste telhado era feita de pele de carneiro tingida de vermelho e ainda de pele de couro fino.

20 Para os lados do tabernáculo empregou tábuas de madeira de acácia, postas ao alto. 21 A altura de cada tábua era de 5 metros, e a largura de 75 centímetros. 22 Cada tábua tinha uma ranhura para poder encaixar na seguinte. 23 Havia vinte tábuas do lado sul, 24 com as extremidades enfiando, ao todo, em quarenta bases de prata. Cada tábua estava fixada à base por duas braçadeiras. 25 Havia também vinte tábuas do lado norte do tabernáculo, 26 com quarenta bases de prata, duas sob cada tábua. 27 O lado ocidental, que era a parte de trás, tinha seis tábuas, 28-29 mais uma para cada canto. Estas tábuas, incluindo as dos cantos, ligavam-se umas às outras em ambas as extremidades por meio de argolas. 30 Assim, no lado ocidental, havia oito tábuas nos cantos da construção, com dezasseis bases de prata; duas bases para cada tábua.

31 Depois fez cinco conjuntos de barras de madeira de acácia para prender as tábuas entre si; cinco barras para cada lado do tabernáculo. 32 Cinco traves para cada lado do tabernáculo, mais cinco para a retaguarda, do lado do ocidente. 33 A barra do meio, que ficará a meia altura das tábuas, atravessá-las-á de uma ponta à outra. 34 Tanto as tábuas como as barras foram cobertas de ouro, mas as argolas eram de ouro puro.

35 O véu interior, de azul, púrpura e vermelho, foi feito de linho, com querubins artisticamente bordados. 36 Depois foi atado a quatro ganchos postos em quatro colunas de madeira de acácia, cobertas de ouro e assentes em quatro bases de prata.

37 Seguidamente, fez o véu para a entrada da tenda sagrada, de linho fino retorcido, bordado a azul, púrpura e vermelho. 38 Este véu estava suspenso por cinco postes ou colunas. Estes postes, os seus capitéis e hastes foram revestidos de ouro. As suas cinco bases foram moldadas em bronze.