Nova Versão Internacional

Marcos 8

A Segunda Multiplicação dos Pães

1Naqueles dias, outra vez reuniu-se uma grande multidão. Visto que não tinham nada para comer, Jesus chamou os seus discípulos e disse-lhes: “Tenho compaixão desta multidão; já faz três dias que eles estão comigo e nada têm para comer. Se eu os mandar para casa com fome, vão desfalecer no caminho, porque alguns deles vieram de longe”.

Os seus discípulos responderam: “Onde, neste lugar deserto, poderia alguém conseguir pão suficiente para alimentá-los?”

“Quantos pães vocês têm?”, perguntou Jesus.

“Sete”, responderam eles.

Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão. Depois de tomar os sete pães e dar graças, partiu-os e os entregou aos seus discípulos, para que os servissem à multidão; e eles o fizeram. Tinham também alguns peixes pequenos; ele deu graças igualmente por eles e disse aos discípulos que os distribuíssem. O povo comeu até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram. Cerca de quatro mil homens estavam presentes. E, tendo-os despedido, 10 entrou no barco com seus discípulos e foi para a região de Dalmanuta.

Os Fariseus Pedem um Sinal

11 Os fariseus vieram e começaram a interrogar Jesus. Para pô-lo à prova, pediram-lhe um sinal do céu. 12 Ele suspirou profundamente e disse: “Por que esta geração pede um sinal miraculoso? Eu lhes afirmo que nenhum sinal lhe será dado”. 13 Então se afastou deles, voltou para o barco e foi para o outro lado.

O Fermento dos Fariseus e de Herodes

14 Os discípulos haviam se esquecido de levar pão, a não ser um pão que tinham consigo no barco. 15 Advertiu-os Jesus: “Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes”.

16 E eles discutiam entre si, dizendo: “É porque não temos pão”.

17 Percebendo a discussão, Jesus lhes perguntou: “Por que vocês estão discutindo sobre não terem pão? Ainda não compreendem nem percebem? O coração de vocês está endurecido? 18 Vocês têm olhos, mas não vêem? Têm ouvidos, mas não ouvem? Não se lembram? 19 Quando eu parti os cinco pães para os cinco mil, quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?”

“Doze”, responderam eles.

20 “E quando eu parti os sete pães para os quatro mil, quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?”

“Sete”, responderam eles.

21 Ele lhes disse: “Vocês ainda não entendem?”

A Cura de um Cego em Betsaida

22 Eles foram para Betsaida, e algumas pessoas trouxeram um cego a Jesus, suplicando-lhe que tocasse nele. 23 Ele tomou o cego pela mão e o levou para fora do povoado. Depois de cuspir nos olhos do homem e impor-lhe as mãos, Jesus perguntou: “Você está vendo alguma coisa?”

24 Ele levantou os olhos e disse: “Vejo pessoas; elas parecem árvores andando”.

25 Mais uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem. Então seus olhos foram abertos, e sua vista lhe foi restaurada, e ele via tudo claramente. 26 Jesus mandou-o para casa, dizendo: “Não entre no povoado[a]!”

A Confissão de Pedro

27 Jesus e os seus discípulos dirigiram-se para os povoados nas proximidades de Cesaréia de Filipe. No caminho, ele lhes perguntou: “Quem o povo diz que eu sou?”

28 Eles responderam: “Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, um dos profetas”.

29 “E vocês?”, perguntou ele. “Quem vocês dizem que eu sou?”

Pedro respondeu: “Tu és o Cristo[b]”.

30 Jesus os advertiu que não falassem a ninguém a seu respeito.

Jesus Prediz sua Morte e Ressurreição

31 Então ele começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem sofresse muitas coisas e fosse rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, fosse morto e três dias depois ressuscitasse. 32 Ele falou claramente a esse respeito. Então Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo.

33 Jesus, porém, voltou-se, olhou para os seus discípulos e repreendeu Pedro, dizendo: “Para trás de mim, Satanás! Você não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens”.

34 Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. 35 Pois quem quiser salvar a sua vida[c], a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará. 36 Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? 37 Ou, o que o homem poderia dar em troca de sua alma? 38 Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos”.

Footnotes

  1. 8.26 Vários manuscritos acrescentam nem conte nada a ninguém no povoado.
  2. 8.29 Ou Messias. Tanto Cristo (grego) como Messias (hebraico) significam Ungido; também em todo o livro de Marcos.
  3. 8.35 Ou alma

The Message

Mark 8

A Meal for Four Thousand

11-3 At about this same time he again found himself with a hungry crowd on his hands. He called his disciples together and said, “This crowd is breaking my heart. They have stuck with me for three days, and now they have nothing to eat. If I send them home hungry, they’ll faint along the way—some of them have come a long distance.”

His disciples responded, “What do you expect us to do about it? Buy food out here in the desert?”

He asked, “How much bread do you have?”

“Seven loaves,” they said.

6-10 So Jesus told the crowd to sit down on the ground. After giving thanks, he took the seven bread loaves, broke them into pieces, and gave them to his disciples so they could hand them out to the crowd. They also had a few fish. He pronounced a blessing over the fish and told his disciples to hand them out as well. The crowd ate its fill. Seven sacks of leftovers were collected. There were well over four thousand at the meal. Then he sent them home. He himself went straight to the boat with his disciples and set out for Dalmanoutha.

11-12 When they arrived, the Pharisees came out and started in on him, badgering him to prove himself, pushing him up against the wall. Provoked, he said, “Why does this generation clamor for miraculous guarantees? If I have anything to say about it, you’ll not get so much as a hint of a guarantee.”

Contaminating Yeast

13-15 He then left them, got back in the boat, and headed for the other side. But the disciples forgot to pack a lunch. Except for a single loaf of bread, there wasn’t a crumb in the boat. Jesus warned, “Be very careful. Keep a sharp eye out for the contaminating yeast of Pharisees and the followers of Herod.”

16-19 Meanwhile, the disciples were finding fault with each other because they had forgotten to bring bread. Jesus overheard and said, “Why are you fussing because you forgot bread? Don’t you see the point of all this? Don’t you get it at all? Remember the five loaves I broke for the five thousand? How many baskets of leftovers did you pick up?”

They said, “Twelve.”

20 “And the seven loaves for the four thousand—how many bags full of leftovers did you get?”

“Seven.”

21 He said, “Do you still not get it?”

22-23 They arrived at Bethsaida. Some people brought a sightless man and begged Jesus to give him a healing touch. Taking him by the hand, he led him out of the village. He put spit in the man’s eyes, laid hands on him, and asked, “Do you see anything?”

24-26 He looked up. “I see men. They look like walking trees.” So Jesus laid hands on his eyes again. The man looked hard and realized that he had recovered perfect sight, saw everything in bright, twenty-twenty focus. Jesus sent him straight home, telling him, “Don’t enter the village.”

The Messiah

27 Jesus and his disciples headed out for the villages around Caesarea Philippi. As they walked, he asked, “Who do the people say I am?”

28 “Some say ‘John the Baptizer,’” they said. “Others say ‘Elijah.’ Still others say ‘one of the prophets.’”

29 He then asked, “And you—what are you saying about me? Who am I?”

Peter gave the answer: “You are the Christ, the Messiah.”

30-32 Jesus warned them to keep it quiet, not to breathe a word of it to anyone. He then began explaining things to them: “It is necessary that the Son of Man proceed to an ordeal of suffering, be tried and found guilty by the elders, high priests, and religion scholars, be killed, and after three days rise up alive.” He said this simply and clearly so they couldn’t miss it.

32-33 But Peter grabbed him in protest. Turning and seeing his disciples wavering, wondering what to believe, Jesus confronted Peter. “Peter, get out of my way! Satan, get lost! You have no idea how God works.”

34-37 Calling the crowd to join his disciples, he said, “Anyone who intends to come with me has to let me lead. You’re not in the driver’s seat; I am. Don’t run from suffering; embrace it. Follow me and I’ll show you how. Self-help is no help at all. Self-sacrifice is the way, my way, to saving yourself, your true self. What good would it do to get everything you want and lose you, the real you? What could you ever trade your soul for?

38 “If any of you are embarrassed over me and the way I’m leading you when you get around your fickle and unfocused friends, know that you’ll be an even greater embarrassment to the Son of Man when he arrives in all the splendor of God, his Father, with an army of the holy angels.”