Jeremias 31:15-40

O Senhor falou-me novamente: Ouvem-se em Ramá amargas lamentações; é Raquel chorando pelos seus filhos; e está absolutamente inconsolável, porque foram-se, difinitivamente. Mas o Senhor diz: Não chores mais, pois ouvi as tuas orações e portanto poderás vê-los novamente; eles regressarão vindo das terras distantes do inimigo. Há esperança para o teu futuro, diz o Senhor; os teus filhos regressarão à sua terra natal, à sua própria terra.

Ouvi os gemidos de Efraim: “Fui pesadamente punido; mas mereci-o bem; fui como um novilho que teve de se habituar ao jugo. Agora faz-me voltar de novo para ti e restaura-me, pois só tu és o Senhor, meu Deus. Afastei-me de Deus, mas minha tristeza foi grande; depois bati com a mão na cabeça, espantado com a minha própria estupidez. Fiquei profundamente envergonhado com tudo aquilo que fiz antes.”

E o Senhor responde: Efraim é ainda meu filho, meu filho querido. É verdade que tive de o castigar, mas amo-o ainda. Lembro-me muito dele, quero a sua presença e terei misericórdia dele.

Quando forem para o exílio, vão pondo marcas no caminho; mas marcas bem visíveis, que é para poderem bem reconhecer a via quando regressarem; porque tu hás-de regressar, ó virgem de Israel, às tuas cidades aqui. Até quando andarás vagabunda, ó filha rebelde? Porque o Senhor fará acontecer algo de diferente, como uma mulher a cortejar um homem!

O Senhor dos exércitos celestiais, o Deus de Israel, diz: Quando os trouxer de volta, dirão em Judá e nas suas cidades: “O Senhor te abençoe, ó centro de justiça, ó santa colina!” E, tanto os habitantes da cidade, como os que vivem no campo, e os pastores viverão juntos em paz e felizes. Porque eu dei descanso a todos os cansados e alegria aos contristados.

(Jeremias, como que despertou, e disse: “Que belo sonho que eu tive!”)

Diz o Senhor: Virá o tempo em que aumentarei grandemente a população e multiplicarei o número de gado aqui em Israel. No passado, destruí meticulosamente toda a nação; mas agora, com igual cuidado a reconstruirei. O povo não espalhará mais esse provérbio que diz: “Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram”. Porque cada um morrerá pelos pecados que comete — a pessoa que comer as uvas verdes, essa é que ficará com os dentes embotados.

Virá o dia, diz o Senhor, em que farei uma nova aliança com o povo de Israel e de Judá. Mas não será como a que estabeleci com seus pais, quando os tirei do Egipto — um contrato que eles mesmo anularam, forçando-me a rejeitá-los, diz o Senhor. Será assim o novo pacto que farei com eles: porei as minhas leis nos seus corações mesmo, de forma que hão-de querer honrar-me; e nessa altura então se tornarão efectivamente meu povo, e eu serei o seu Deus. Então não será mais necessário insistir com alguém para conhecer Deus. Porque toda a gente, tanto os grandes como os pequenos, me conhecerão realmente, diz o Senhor; perdoarei e esquecer-me-ei dos seus pecados.

O Senhor, que nos dá a luz do Sol durante o dia, e da Lua e das estrelas para alumiar a noite, que provoca ele próprio a agitação do mar de maneira a formarem-se as vagas alterosas — o seu nome é Senhor dos exércitos celestiais — diz assim: Se estas leis da natureza puderem alterar-se, então poderei eu também rejeitar o meu povo Israel! Enquanto não se puderem medir nem a altura do firmamento, nem a profundidade da Terra, eu não o rejeitarei para sempre, pelos seus pecados!

Porque chegou o tempo, diz o Senhor, em que toda a Jerusalém será reconstruída para o Senhor, desde a torre de Hananel na extremidade nordeste, até à porta do Canto a noroeste; e desde o outeiro de Garebe no sudoeste, até Goa no sudeste. E toda a cidade, incluindo o campo dos mortos e o terreno das cinzas, no vale, será santo para o Senhor; e assim o serão também todos os campos até ao ribeiro de Cedron, até à porta dos Cavalos a oriente da cidade. Nunca mais ela será capturada nem destruída.

Read More of Jeremias 31

Jeremias 32:1-25

Jeremias compra um terreno

A seguinte mensagem foi dada a Jeremias da parte do Senhor no décimo ano do reinado de Zedequias, rei de Judá, que era também o décimo oitavo ano do reinado de Nabucodonozor. Nessa ocasião Jeremias estava encarcerado no calabouço da cave do palácio; e durante esse tempo o exército de Babilónia cercava Jerusalém. O rei Zedequias tinha-o posto lá por ter continuado a profetizar que a cidade haveria de ser conquistada pelo rei de Babilónia, e que o rei Zedequias seria preso e levado, como prisioneiro, até à presença do rei de Babilónia, para ser julgado e sentenciado.

“Ele te levará para Babilónia, e te meterá lá na prisão, por muitos anos, até que morras. Porquê combater factos? Não poderás vencer! É melhor renderes-te já!” Estas foram as palavras que Jeremias lhe disse repetidamente.

Então veio esta mensagem do Senhor a Jeremias: Teu primo Hanameel, filho de Salum, virá em breve ter contigo para te pedir que lhe compres a propriedade que tem em Anatote, porque, pela lei, tens direito a adquiri-la antes que outros se proponham transaccioná-la. E com efeito Hanameel apareceu, como o Senhor tinha predito, e veio ver-me à prisão. “Queres comprar a minha propriedade de Anatote, na terra de Benjamim”, perguntou-me; “porque a lei dá-te a ti o direito de a adquirires.” Foi assim que me dei conta de que efectivamente a mensagem que tinha recebido vinha do Senhor.

E comprei-lhe o terreno, pagando-lhe duzentos gramas de prata. Assinei e selei o contrato de compra perante testemunhas, tendo pesado a prata, que lhe entreguei logo. Seguidamente, tomei o contrato de compra, já selado, e contendo os termos e as condições da transacção, mais a sua cópia, sem selo, e publicamente, na presença de todos, do meu primo Hanameel e das testemunhas que tinham também assinado o contrato, e igualmente perante os guardas da prisão, entreguei esses documentos a Baruque (filho de Nerias e neto de Maaséias). Após isso, sendo que todos me escutavam, disse estas palavras:

“O Senhor dos exércitos celestiais, o Deus de Israel, diz: Pega nesse contrato selado mais a sua cópia, e põe-os num jarro, para que se conservem intactos durante muito tempo. Porque o Senhor dos exércitos celestiais, o Deus de Israel, diz: No futuro, estes documentos serão de muita validade. Virão dias em que o povo tornará a adquirir propriedades nesta terra, em que comprará e venderá casas, vinhas e campos.”

Então depois de ter dado os documentos a Baruque, orei assim:

“Ó Senhor Deus! Tu, que fizeste os céus e a Terra pelo teu grande poder; nada é demasiado difícil para ti! Tu és bom e misericordioso para milhares de gentes, ainda que os filhos sofram pelos pecados dos pais; és o grande e poderoso Deus, o Senhor dos exércitos celestiais. Em ti está toda a sabedoria, e fazes milagres espantosos, de grande alcance; pois os teus olhos estão abertos sobre todos os caminhos, todas as condutas dos filhos dos homens, e dás a cada um de acordo com a vida que tem e os actos que pratica. Fizeste coisas incríveis no Egipto — coisas que continuam sempre a ser lembradas e celebradas. Aliás continuas fazendo grandes milagres em Israel e em todo o mundo. Fizeste o teu nome cheio de fama e de prestígio, como hoje se vê.

Trouxeste Israel para fora do Egipto por meio de actos extraordinários, sobrenaturais, com demonstrações de grande poder e espanto. Deste depois a Israel esta terra que tinhas prometido aos seus antepassados havia muito tempo antes — uma terra maravilhosa, que mana leite e mel. Nossos avós vieram, conquistaram-na e viveram aqui; contudo, recusaram obedecer-te e seguir as tuas leis; nada fizeram daquilo que lhes tinha ordenado. Foi por isso que lhes enviaste todo este terrível mal.

Vejam só estes baluartes com que o inimigo sitia a cidade, e que se aproxima ofensivamente das muralhas; os babilónios acabarão por conquistar a cidade pela espada, pela fome e pela peste. Desta forma tudo aconteceu como tinhas dito, e como estava determinado que fosse! Pois mesmo assim, apesar disso tudo, tu disseste-me que comprasse o campo — que pagasse o dinheiro pedido por ele, perante testemunhas, num acto legal — embora a cidade esteja já praticamente dada nas mãos dos nossos inimigos.”

Read More of Jeremias 32