Apocalipse 18:17-24

Em apenas uma hora,
    tamanha riqueza
    foi arruinada!’

“Todos os pilotos, todos os passageiros e marinheiros dos navios e todos os que ganham a vida no mar ficarão de longe. Ao verem a fumaça do incêndio dela, exclamarão: ‘Que outra cidade jamais se igualou a esta grande cidade?’ Lançarão pó sobre a cabeça e, lamentando-se e chorando, gritarão:

“‘Ai! A grande cidade!
Graças à sua riqueza,
    nela prosperaram
    todos os que tinham
    navios no mar!
Em apenas uma hora
    ela ficou em ruínas!
Celebrem o que se deu com ela, ó céus!
Celebrem, ó santos, apóstolos
    e profetas!
Deus a julgou, retribuindo-lhe
    o que ela fez a vocês ’”.

Então um anjo poderoso levantou uma pedra do tamanho de uma grande pedra de moinho, lançou-a ao mar e disse:

“Com igual violência
    será lançada por terra
    a grande cidade
    de Babilônia,
para nunca mais
    ser encontrada.
Nunca mais se ouvirá em seu meio
    o som dos harpistas, dos músicos,
dos flautistas e dos tocadores
    de trombeta.
Nunca mais se achará dentro de seus muros
    artífice algum, de qualquer profissão.
Nunca mais se ouvirá em seu meio
    o ruído das pedras de moinho.
Nunca mais brilhará dentro de seus muros
    a luz da candeia.
Nunca mais se ouvirá ali
    a voz do noivo e da noiva.
Seus mercadores eram
    os grandes do mundo.
Todas as nações
    foram seduzidas
    por suas feitiçarias.
Nela foi encontrado sangue
    de profetas e de santos,
e de todos os que foram assassinados
    na terra”.

Read More of Apocalipse 18

Apocalipse 19:1-10

Aleluia!

Depois disso ouvi nos céus algo semelhante à voz de uma grande multidão, que exclamava:

“Aleluia!
A salvação, a glória e o poder
    pertencem ao nosso Deus,
pois verdadeiros e justos
    são os seus juízos.
Ele condenou
    a grande prostituta
    que corrompia a terra
    com a sua prostituição.
Ele cobrou dela o sangue
    dos seus servos”.

E mais uma vez a multidão exclamou:

“Aleluia!
    A fumaça que dela vem,
    sobe para todo o sempre”.

Os vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, e exclamaram:

“Amém, Aleluia!”

Então veio do trono uma voz, conclamando:

“Louvem o nosso Deus,
    todos vocês, seus servos,
vocês que o temem,
    tanto pequenos como grandes!”

Então ouvi algo semelhante ao som de uma grande multidão, como o estrondo de muitas águas e fortes trovões, que bradava:

“Aleluia!,
    pois reina
    o Senhor, o nosso Deus,
    o Todo-poderoso.
Regozijemo-nos! Vamos alegrar-nos
    e dar-lhe glória!
Pois chegou a hora
    do casamento do Cordeiro,
e a sua noiva já se aprontou.
Para vestir-se, foi-lhe dado
    linho fino, brilhante e puro”.

O linho fino são os atos justos dos santos.

E o anjo me disse: “Escreva: Felizes os convidados para o banquete do casamento do Cordeiro!” E acrescentou: “Estas são as palavras verdadeiras de Deus”.

Então caí aos seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: “Não faça isso! Sou servo como você e como os seus irmãos que se mantêm fiéis ao testemunho[a] de Jesus. Adore a Deus! O testemunho de Jesus é o espírito de profecia”.


Footnotes
  1. 19.10 Ou que mantêm o testemunho

Read More of Apocalipse 19