Jeremias 51:15-64

“Mas foi Deus quem fez a terra
    com o seu poder;
firmou o mundo com a sua sabedoria
    e estendeu os céus
com o seu entendimento.
Ao som do seu trovão,
    as águas no céu rugem;
ele faz com que as nuvens se levantem
    desde os confins da terra.
Ele faz relâmpagos para a chuva
    e faz sair o vento de seus depósitos.

“São todos eles estúpidos e ignorantes;
cada ourives é envergonhado
    pela imagem que esculpiu.
Suas imagens esculpidas
    são uma fraude,
elas não têm fôlego de vida.
Elas são inúteis,
    são objeto de zombaria.
Quando vier o julgamento delas,
    perecerão.
Aquele que é a Porção de Jacó
    não é como esses,
pois ele é quem forma todas as coisas,
    e Israel é a tribo de sua propriedade;
Senhor dos Exércitos
    é o seu nome.

“Você é o meu martelo,
    a minha arma de guerra.
Com você eu despedaço nações,
    com você eu destruo reinos,
com você despedaço
    cavalo e cavaleiro,
com você despedaço
    carro de guerra e cocheiro,
com você despedaço homem e mulher,
    com você despedaço velho e jovem,
com você despedaço rapaz e moça,
com você despedaço pastor e rebanho,
    com você despedaço lavrador e bois,
com você despedaço
    governadores e oficiais.

“Retribuirei à Babilônia e a todos os que vivem na Babilônia toda a maldade que fizeram em Sião diante dos olhos de vocês”, declara o Senhor.

“Estou contra você,
    ó montanha destruidora,
você que destrói a terra inteira”,
    declara o Senhor.
“Estenderei minha mão contra você,
eu a farei rolar dos penhascos,
e farei de você
    uma montanha calcinada.
Nenhuma pedra sua será cortada
    para servir de pedra angular,
    nem para um alicerce,
pois você estará arruinada para sempre”,
    declara o Senhor.

“Ergam um estandarte na terra!
    Toquem a trombeta entre as nações!
Preparem as nações
    para o combate contra ela;
convoquem contra ela estes reinos:
    Ararate, Mini e Asquenaz.
Nomeiem um comandante contra ela;
lancem os cavalos ao ataque
    como um enxame de gafanhotos.
Preparem as nações
    para o combate contra ela:
os reis dos medos, seus governadores
    e todos os seus oficiais,
e todos os países que governam.
A terra treme e se contorce de dor,
pois permanecem em pé
    os planos do Senhor
    contra a Babilônia:
desolar a terra da Babilônia
    para que fique desabitada.
Os guerreiros da Babilônia
    pararam de lutar;
permanecem em suas fortalezas.
A força deles acabou;
tornaram-se como mulheres.
As habitações dela estão incendiadas;
as trancas de suas portas
    estão quebradas.
Um emissário vai após outro,
e um mensageiro sai
    após outro mensageiro
para anunciar ao rei da Babilônia
    que sua cidade inteira foi capturada,
os vaus do rio foram tomados,
a vegetação dos pântanos foi incendiada,
    e os soldados ficaram aterrorizados.”

Assim diz o Senhor dos Exércitos,

Deus de Israel:

“A cidade[a] de Babilônia é como uma eira;
a época da colheita
    logo chegará para ela”.

“Nabucodonosor, rei da Babilônia,
    devorou-nos, lançou-nos em confusão,
fez de nós um jarro vazio.
Tal como uma serpente ele nos engoliu,
encheu seu estômago
    com nossas finas comidas
e então nos vomitou.
Que a violência
    cometida contra nossa carne[b]
    esteja sobre a Babilônia”,
dizem os habitantes de Sião.
“Que o nosso sangue esteja sobre
    aqueles que moram na Babilônia”,
diz Jerusalém.

Por isso, assim diz o Senhor:

“Vejam, defenderei a causa de vocês
    e os vingarei;
secarei o seu mar
    e esgotarei as suas fontes.
A Babilônia se tornará
    um amontoado de ruínas,
uma habitação de chacais,
objeto de pavor e de zombaria,
um lugar onde ninguém vive.
O seu povo todo
    ruge como leõezinhos,
rosnam como filhotes de leão.
Mas, enquanto estiverem excitados,
    prepararei um banquete para eles
e os deixarei bêbados,
    para que fiquem bem alegres
e, então, durmam e jamais acordem”,
    declara o Senhor.
“Eu os levarei como cordeiros
    para o matadouro,
como carneiros e bodes.

“Como Sesaque[c] será capturada!
    Como o orgulho de toda a terra será tomado!
Que horror a Babilônia
    será entre as nações!
O mar se levantará sobre a Babilônia;
    suas ondas agitadas a cobrirão.
Suas cidades serão arrasadas,
uma terra seca e deserta,
uma terra onde ninguém mora,
pela qual nenhum homem passa.
Castigarei Bel na Babilônia
    e o farei vomitar o que engoliu.
As nações não mais acorrerão a ele.
E a muralha da Babilônia cairá.

“Saia dela, meu povo!
Cada um salve a sua própria vida,
    da ardente ira do Senhor.
Não desanimem
    nem tenham medo
quando ouvirem rumores na terra;
um rumor chega este ano,
    outro no próximo,
rumor de violência na terra
    e de governante contra governante.
Portanto, certamente vêm os dias
    quando castigarei as imagens
    esculpidas da Babilônia;
toda a sua terra será envergonhada,
e todos os seus mortos jazerão
    caídos dentro dela.
Então o céu e a terra
    e tudo o que existe neles
gritarão de alegria
    por causa da Babilônia,
pois do norte destruidores a atacarão”,
    declara o Senhor.

“A Babilônia cairá
    por causa dos mortos de Israel,
assim como os mortos de toda a terra
    caíram por causa da Babilônia.
Vocês que escaparam da espada,
    saiam! Não permaneçam!
Lembrem-se do Senhor
    numa terra distante,
e pensem em Jerusalém.

“Vocês dirão: ‘Estamos envergonhados
    pois fomos insultados
e a vergonha cobre o nosso rosto,
porque estrangeiros penetraram
    nos lugares santos
    do templo do Senhor’.

“Portanto, certamente vêm os dias”,
    declara o Senhor,
“quando castigarei
    as suas imagens esculpidas,
e por toda a sua terra
    os feridos gemerão.
Mesmo que a Babilônia chegue ao céu
    e fortifique no alto a sua fortaleza,
enviarei destruidores contra ela”,
    declara o Senhor.

“Vem da Babilônia o som de um grito;
o som de grande destruição
    vem da terra dos babilônios.
O Senhor destruirá a Babilônia;
    ele silenciará o seu grande ruído.
Ondas de inimigos avançarão
    como grandes águas;
o rugir de suas vozes ressoará.
Um destruidor virá contra a Babilônia;
seus guerreiros serão capturados,
e seus arcos serão quebrados.
Pois o Senhor é um
    Deus de retribuição;
ele retribuirá plenamente.
Embebedarei os seus líderes
    e os seus sábios;
os seus governadores,
    os seus oficiais e os seus guerreiros.
Eles dormirão para sempre
    e jamais acordarão”,
declara o Rei,
    cujo nome é Senhor dos Exércitos.

Assim diz o Senhor dos Exércitos:

“A larga muralha da Babilônia
    será desmantelada
e suas altas portas serão incendiadas.
Os povos se exaurem por nada,
o trabalho das nações não passa
    de combustível para as chamas”.

Esta é a mensagem que Jeremias deu ao responsável pelo acampamento, Seraías, filho de Nerias, filho de Maaséias, quando ele foi à Babilônia com o rei Zedequias de Judá, no quarto ano do seu reinado. Jeremias escreveu num rolo todas as desgraças que sobreviriam à Babilônia, tudo que fora registrado acerca da Babilônia. Ele disse a Seraías: “Quando você chegar à Babilônia, tenha o cuidado de ler todas estas palavras em alta voz. Então diga: Ó Senhor, disseste que destruirás este lugar, para que nem homem nem animal viva nele, pois ficará em ruínas para sempre. Quando você terminar de ler este rolo, amarre nele uma pedra e atire-o no Eufrates. Então diga: Assim Babilônia afundará para não mais se erguer, por causa da desgraça que trarei sobre ela. E seu povo cairá”.

Aqui terminam as palavras de Jeremias.


Footnotes
  1. 51.33 Hebraico: filha.
  2. 51.35 Ou feita a nós e a nossos filhos
  3. 51.41 Sesaque é um criptograma para Babilônia.

Read More of Jeremias 51