Isaías 17

Mensagem contra Damasco

Advertência contra Damasco:

    Damasco deixará de ser cidade;
e se tornará um monte de ruínas.
Suas cidades serão abandonadas;
    serão entregues aos rebanhos
que ali se deitarão,
    e ninguém os espantará.
Efraim deixará de ser uma fortaleza,
    e Damasco uma realeza;
o remanescente de Arã será
    como a glória dos israelitas,
anuncia o Senhor dos Exércitos.

Naquele dia a glória de Jacó se definhará,
    e a gordura do seu corpo se consumirá.
Será como quando
    um ceifeiro junta o trigo
e colhe as espigas com o braço,
    como quando se apanham
os feixes de trigo
    no vale de Refaim.
Contudo, restarão algumas espigas,
    como, quando se sacode uma oliveira,
ficam duas ou três azeitonas
    nos galhos mais altos
e umas quatro ou cinco
    nos ramos mais produtivos,
anuncia o Senhor, o Deus de Israel.

Naquele dia os homens olharão
    para aquele que os fez
e voltarão os olhos para o Santo de Israel.
Não olharão para os altares,
    obra de suas mãos,
e não darão a mínima atenção
    aos postes sagrados
e aos altares de incenso
    que os seus dedos fizeram.

Naquele dia as suas cidades fortes, que tinham sido abandonadas por causa dos israelitas, serão como lugares entregues aos bosques e ao mato. E tudo será desolação.

Porque vocês se esqueceram de Deus,
    do seu Salvador,
e não se lembraram da Rocha,
    da fortaleza de vocês.
Por isso, embora vocês cultivem
    as melhores plantas,
videiras importadas,
e no dia em que as semearem
    as façam crescer,
e de manhã florescer,
    contudo, não haverá colheita
no dia da tristeza e do mal irremediável.

Ah! O bramido das numerosas nações;
    bramam como o mar!
Ah, o rugido dos povos;
    rugem como águas impetuosas!
Embora os povos rujam como
    ondas encapeladas,
quando ele os repreender,
    fugirão para longe,
carregados pelo vento
    como palha nas colinas,
como galhos arrancados pela ventania.
Ao cair da tarde, pavor repentino!
    Antes do amanhecer, já se foram!
Esse é o destino dos que nos saqueiam,
    essa é a parte que caberá aos que roubam.

Read More of Isaías 17

Isaías 18

Profecia contra a Etiópia

Ai da terra do zumbido de insetos[a]
    ao longo dos rios da Etiópia[b],
que manda emissários pelo mar
    em barcos de papiro sobre as águas.

Vão, ágeis mensageiros,
    a um povo alto e de pele macia,
a um povo temido
    pelos que estão perto
e pelos que estão longe,
    nação agressiva e de fala estranha,
cuja terra é dividida por rios.

Todos vocês, habitantes do mundo,
    vocês que vivem na terra,
quando a bandeira for erguida
    sobre os montes, vocês a verão,
e, quando soar a trombeta,
    vocês a ouvirão.
Assim diz o Senhor:
    “Do lugar onde moro
ficarei olhando, quieto
    como o ardor do sol reluzente,
como a nuvem de orvalho
    no calor do tempo da colheita”.
Pois, antes da colheita,
    quando a floração der lugar ao fruto
e as uvas amadurecerem,
    ele cortará os brotos com a podadeira
e tirará os ramos longos.
Serão todos entregues
    aos abutres das montanhas
e aos animais selvagens;
    as aves se alimentarão deles todo o verão,
e os animais selvagens, todo o inverno.

Naquela ocasião dádivas serão trazidas

ao Senhor dos Exércitos

da parte de um povo alto e de pele macia,
da parte de um povo temido
    pelos que estão perto
    e pelos que estão longe,
nação agressiva e de fala estranha,
    cuja terra é dividida por rios.

As dádivas serão trazidas ao monte Sião, ao local do nome do Senhor dos Exércitos.


Footnotes
  1. 18.1 Ou gafanhotos
  2. 18.1 Hebraico: de Cuxe.

Read More of Isaías 18

Isaías 19

Profecia contra o Egito

Advertência contra o Egito:

Vejam! O Senhor cavalga
    numa nuvem veloz
que vai para o Egito.
    Os ídolos do Egito tremem diante dele,
e os corações dos egípcios
    se derretem no íntimo.

“Incitarei egípcio contra egípcio;
    cada um lutará contra seu irmão,
vizinho lutará contra vizinho,
    cidade contra cidade,
reino contra reino.
Os egípcios ficarão desanimados,
    e farei que os seus planos
resultem em nada.
    Depois eles consultarão os ídolos
e os necromantes,
    os médiuns e os adivinhos,
então eu entregarei os egípcios
    nas mãos de um senhor cruel,
e um rei feroz dominará sobre eles”,
    anuncia o Soberano,
o Senhor dos Exércitos.

As águas do rio vão secar-se;
    o leito do rio ficará completamente seco.
Os canais terão mau cheiro;
    os riachos do Egito
vão diminuir até secar-se;
    os juncos e as canas murcharão.
Haverá lugares secos ao longo do Nilo
    e na própria foz do rio.
Tudo o que for semeado ao longo do Nilo
    se ressecará,
será levado pelo vento
    e desaparecerá.
Os pescadores gemerão
    e se lamentarão,
como também todos os que lançam
    anzóis no Nilo;
os que lançam redes na água
    desanimarão.
Os que trabalham com linho
    e os tecelões de algodão se desesperarão.
Os nobres ficarão deprimidos,
    e todos os assalariados ficarão abatidos.

Os líderes de Zoã
    não passam de insensatos;
os sábios conselheiros do faraó
    dão conselhos tolos.
Como, então,
    vocês podem dizer ao faraó:
“Sou sábio,
    sou discípulo dos reis da antigüidade”?

Onde estão agora os seus sábios?
    Que lhe mostrem,
se é que eles têm conhecimento
    do que o Senhor dos Exércitos
tem planejado contra o Egito.
Tornaram-se tolos os líderes de Zoã,
    e os de Mênfis são enganados;
os chefes dos seus clãs
    induziram o Egito ao erro.
O Senhor derramou dentro deles
    um espírito que os deixou desorientados;
eles levam o Egito a cambalear
    em tudo quanto faz,
como cambaleia o bêbado
    em volta do seu vômito.
Não há nada que o Egito possa fazer,
    nada que a cabeça ou a cauda,
a palma ou o junco possam fazer.

Naquele dia os egípcios serão como mulheres. Tremerão de medo diante do agitar da mão do Senhor dos Exércitos, que se levantará contra eles. Judá trará pavor aos egípcios; todo aquele que mencionar o nome de Judá ficará apavorado, por causa do plano do Senhor dos Exércitos contra eles.

Naquele dia cinco cidades do Egito falarão a língua de Canaã e jurarão lealdade ao Senhor dos Exércitos. Uma delas será chamada Cidade do Sol[a].

Naquele dia haverá um altar dedicado ao Senhor no centro do Egito, e em sua fronteira, um monumento ao Senhor. Serão um sinal e um testemunho para o Senhor dos Exércitos na terra do Egito. Quando eles clamarem ao Senhor por causa dos seus opressores, ele lhes enviará um salvador e defensor que os libertará. Assim o Senhor se dará a conhecer aos egípcios, e naquele dia eles saberão quem é o Senhor. A ele prestarão culto com sacrifícios e ofertas de cereal; farão votos ao Senhor e os cumprirão. O Senhor ferirá os egípcios; ele os ferirá e os curará. Eles se voltarão para o Senhor, e ele responderá às suas súplicas e os curará.

Naquele dia haverá uma estrada do Egito para a Assíria. Os assírios irão para o Egito, e os egípcios para a Assíria, e os egípcios e os assírios cultuarão juntos. Naquele dia Israel será um mediador entre o Egito e a Assíria, uma bênção na terra. O Senhor dos Exércitos os abençoará, dizendo: “Bendito sejam o Egito, meu povo, a Assíria, obra de minhas mãos, e Israel, minha herança”.


Footnotes
  1. 19.18 Isto é, Heliópolis. Conforme alguns manuscritos do Texto Massorético, os manuscritos do mar Morto e a Vulgata. Muitos manuscritos do Texto Massorético dizem Cidade da Destruição.

Read More of Isaías 19