1 Reis 6

A Construção do Templo

Quatrocentos e oitenta[a] anos depois que os israelitas saíram do Egito, no quarto ano do reinado de Salomão em Israel, no mês de zive[b], o segundo mês, ele começou a construir o templo do Senhor.

O templo que o rei Salomão construiu para o Senhor media vinte e sete metros de comprimento, nove metros de largura e treze metros e meio de altura[c]. O pórtico da entrada do santuário tinha a largura do templo, que era de nove metros, e avançava quatro metros e meio à frente do templo. Ele fez para o templo janelas com grades estreitas. Junto às paredes do átrio principal e do santuário interior, construiu uma estrutura em torno do edifício, na qual havia salas laterais. O andar inferior tinha dois metros e vinte e cinco centímetros de largura, o andar intermediário tinha dois metros e setenta centímetros e o terceiro andar tinha três metros e quinze centímetros. Ele fez saliências de apoio nas paredes externas do templo, de modo que não houve necessidade de perfurar as paredes.

Na construção do templo só foram usados blocos lavrados nas pedreiras, e não se ouviu no templo nenhum barulho de martelo, nem de talhadeira, nem de qualquer outra ferramenta de ferro durante a sua construção.

A entrada para o andar inferior[d] ficava no lado sul do templo; uma escada conduzia até o andar intermediário e dali ao terceiro. Assim ele construiu o templo e o terminou, fazendo-lhe um forro com vigas e tábuas de cedro. E fez as salas laterais ao longo de todo o templo. Cada uma tinha dois metros e vinte e cinco centímetros de altura, e elas estavam ligadas ao templo por vigas de cedro.

E a palavra do Senhor veio a Salomão dizendo: “Quanto a este templo que você está construindo, se você seguir os meus decretos, executar os meus juízos e obedecer a todos os meus mandamentos, cumprirei por meio de você a promessa que fiz ao seu pai Davi, viverei no meio dos israelitas e não abandonarei Israel, o meu povo”.

Assim Salomão concluiu a construção do templo. Forrou as paredes do templo por dentro com tábuas de cedro, cobrindo-as desde o chão até o teto, e fez o soalho do templo com tábuas de pinho. Separou nove metros na parte de trás do templo, fazendo uma divisão com tábuas de cedro, do chão ao teto, para formar dentro do templo o santuário interno, o Lugar Santíssimo. O átrio principal em frente dessa sala media dezoito metros de comprimento. O interior do templo era de cedro, com figuras entalhadas de frutos e flores abertas. Tudo era de cedro; não se via pedra alguma.

Preparou também o santuário interno no templo para ali colocar a arca da aliança do Senhor. O santuário interno tinha nove metros de comprimento, nove de largura e nove de altura. Ele revestiu o interior de ouro puro, e também revestiu de ouro o altar de cedro. Salomão cobriu o interior do templo de ouro puro, e estendeu correntes de ouro em frente do santuário interno, que também foi revestido de ouro. Assim, revestiu de ouro todo o interior do templo e também o altar que pertencia ao santuário interno.

No santuário interno ele esculpiu dois querubins de madeira de oliveira, cada um com quatro metros e meio de altura. As asas abertas dos querubins mediam dois metros e vinte e cinco centímetros: quatro metros e meio da ponta de uma asa à ponta da outra. Os dois querubins tinham a mesma medida e a mesma forma. A altura de cada querubim era de quatro metros e meio. Ele colocou os querubins, com as asas abertas, no santuário interno do templo. A asa de um querubim encostava numa parede, e a do outro encostava na outra. As suas outras asas encostavam uma na outra no meio do santuário. Ele revestiu os querubins de ouro.

Nas paredes ao redor do templo, tanto na parte interna como na externa, ele esculpiu querubins, tamareiras e flores abertas. Também revestiu de ouro os pisos, tanto na parte interna como na externa do templo.

Para a entrada do santuário interno fez portas de oliveira com batentes de cinco lados. E nas duas portas de madeira de oliveira esculpiu querubins, tamareiras e flores abertas, e revestiu os querubins e as tamareiras de ouro batido. Também fez pilares de quatro lados, de madeira de oliveira para a entrada do templo. Fez também duas portas de pinho, cada uma com duas folhas que se articulavam por meio de dobradiças. Entalhou figuras de querubins, de tamareiras e de flores abertas nas portas e as revestiu de ouro batido.

E construiu o pátio interno com três camadas de pedra lavrada e uma de vigas de cedro.

O alicerce do templo do Senhor foi lançado no mês de zive, do quarto ano. No mês de bul[e], o oitavo mês, do décimo primeiro ano, o templo foi terminado em todos os seus detalhes, de acordo com as suas especificações. Salomão levou sete anos para construí-lo.


Footnotes
  1. 6.1 A Septuaginta diz 440.
  2. 6.1 Aproximadamente abril/maio; também no versículo 37.
  3. 6.2 Hebraico: 60 côvados de comprimento, 20 de largura e 30 de altura. O côvado era uma medida linear de cerca de 45 centímetros.
  4. 6.8 Conforme a Septuaginta. O Texto Massorético diz intermediário.
  5. 6.38 Aproximadamente outubro/novembro.

Read More of 1 Reis 6

1 Reis 7:1-22

A Construção do Palácio de Salomão

Salomão levou treze anos para terminar a construção do seu palácio. Ele construiu o Palácio da Floresta do Líbano com quarenta e cinco metros de comprimento, vinte e dois metros e meio de largura e treze metros e meio de altura[a], sustentado por quatro fileiras de colunas de cedro sobre as quais apoiavam-se vigas de cedro aparelhadas. O forro, de cedro, ficava sobre as quarenta e cinco vigas, quinze por fileira, que se apoiavam nas colunas. Havia janelas dispostas de três em três, uma em frente da outra. Todas as portas tinham estrutura retangular; ficavam na parte da frente, dispostas de três em três, uma em frente da outra.

Fez um pórtico de colunas de vinte e dois metros e meio de comprimento e treze metros e meio de largura. Em frente havia outro pórtico com colunas e uma cobertura que se estendia além das colunas.

Construiu a Sala do Trono, isto é, a Sala da Justiça, onde iria julgar, e revestiu-a de cedro desde o chão até o teto[b]. E o palácio para sua moradia, no outro pátio, tinha um formato semelhante. Salomão fez também um palácio como esse para a filha do faraó, com quem tinha se casado.

Todas essas construções, desde o lado externo até o grande pátio e do alicerce até o beiral, foram feitas de pedra de qualidade superior, cortadas sob medida e desbastadas com uma serra nos lados interno e externo. Os alicerces foram lançados com pedras grandes de qualidade superior, algumas medindo quatro metros e meio e outras três metros e sessenta centímetros. Na parte de cima havia pedras de qualidade superior, cortadas sob medida, e vigas de cedro. O grande pátio era cercado por um muro de três camadas de pedras lavradas e uma camada de vigas de cedro aparelhadas, da mesma maneira que o pátio interior do templo do Senhor, com o seu pórtico.

Os Utensílios do Templo

O rei Salomão enviara mensageiros a Tiro e trouxera Hurão[c], filho de uma viúva da tribo de Naftali e de um cidadão de Tiro, artífice em bronze. Hurão era extremamente hábil e experiente, e sabia fazer todo tipo de trabalho em bronze. Apresentou-se ao rei Salomão e fez depois todo o trabalho que lhe foi designado.

Ele fundiu duas colunas de bronze, cada uma com oito metros e dez centímetros de altura e cinco metros e quarenta centímetros de circunferência, medidas pelo fio apropriado. Também fez dois capitéis de bronze fundido para colocar no alto das colunas; cada capitel tinha dois metros e vinte e cinco centímetros de altura. Conjuntos de correntes entrelaçadas ornamentavam os capitéis no alto das colunas, sete em cada capitel. Fez também romãs em duas fileiras[d] que circundavam cada conjunto de correntes para cobrir os capitéis no alto das colunas[e]. Fez o mesmo com cada capitel. Os capitéis no alto das colunas do pórtico tinham o formato de lírios, com um metro e oitenta centímetros de altura. Nos capitéis das duas colunas, acima da parte que tinha formato de taça, perto do conjunto de correntes, havia duzentas romãs enfileiradas ao redor. Ele levantou as colunas na frente do pórtico do templo. Deu o nome de Jaquim[f] à coluna ao sul e de Boaz[g] à coluna ao norte. Os capitéis no alto tinham a forma de lírios. E assim completou-se o trabalho das colunas.


Footnotes
  1. 7.2 Hebraico: 100 côvados de comprimento, 50 de largura e 30 de altura. O côvado era uma medida linear de cerca de 45 centímetros.
  2. 7.7 Conforme a Vulgata e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz de cedro desde o chão.
  3. 7.13 Hebraico: Hirão, variante de Hurão; também nos versículos 40 e 45.
  4. 7.18 Muitos manuscritos dizem Fez as colunas, e havia duas fileiras.
  5. 7.18 Muitos manuscritos dizem das romãs.
  6. 7.21 Jaquim provavelmente significa ele firma.
  7. 7.21 Boaz provavelmente significa nele há força.

Read More of 1 Reis 7