O Livro

Salmos 5

Salmo de David. Para o diretor do coro. Acompanhado por flautas.

1Senhor, ouve as palavras da minha oração.
Escuta a minha súplica, meu Rei e meu Deus,
pois é só a ti que me dirijo.

De manhã ouvirás a voz da minha oração, Senhor;
cada manhã me apresento na tua presença
e espero a tua resposta.
Porque eu sei, ó Deus, que não podes tolerar a maldade,
nem o pecado pode existir diante de ti.
Os pecadores orgulhosos
não poderão resistir ao teu olhar penetrante,
pois aborreces todos os que praticam obras más.
Destruirás os que dizem mentiras;
detestas os que fazem derramar sangue inocente
e os que enganam o seu semelhante.
Quanto a mim, poderei entrar na tua casa,
devido ao teu grande amor e ao teu perdão.
Inclinar-me-ei diante de ti com profundo respeito.

Senhor, guia-me na tua justiça,
por causa dos meus inimigos.
Indica-me com clareza o caminho que devo seguir.
Na sua boca não se encontra uma só palavra verdadeira;
o seu íntimo está cheio de maldade.
A sua garganta é um sepulcro aberto,
a sua língua lisonja.
10 Declara-os culpados, ó Deus.
Que os seus projetos sejam as armadilhas
onde eles mesmos são apanhados!
Que sejam expulsos para longe de ti,
em virtude da multidão das suas transgressões,
pois é contra ti que se revoltam!
11 Mas que se alegrem todos os que se refugiam em ti!
Que cantem de alegria, para sempre,
porque tu os defendes!
Que se sintam felizes os que amam o teu nome!

12 Pois tu, Senhor, abençoarás aquele que é justo;
tu o proteges com o escudo do teu amor.

Nova Versão Internacional

Salmos 5

Salmo 5

Para o mestre de música. Para flautas. Salmo davídico.

Escuta, Senhor, as minhas palavras,
    considera o meu gemer.
Atenta para o meu grito de socorro,
    meu Rei e meu Deus,
pois é a ti que imploro.
De manhã ouves, Senhor, o meu clamor;
de manhã te apresento a minha oração[a]
    e aguardo com esperança.

Tu não és um Deus
    que tenha prazer na injustiça;
contigo o mal não pode habitar.
Os arrogantes não são aceitos
    na tua presença;
odeias todos os que praticam o mal.
Destróis os mentirosos;
os assassinos e os traiçoeiros
    o Senhor detesta.

Eu, porém, pelo teu grande amor,
    entrarei em tua casa;
com temor me inclinarei
    para o teu santo templo.
Conduze-me, Senhor, na tua justiça,
    por causa dos meus inimigos;
aplaina o teu caminho diante de mim.

Nos lábios deles não há palavra confiável;
    suas mentes só tramam destruição.
Suas gargantas são um túmulo aberto;
    com suas línguas enganam sutilmente.
10 Condena-os, ó Deus!
Caiam eles por suas próprias maquinações.
Expulsa-os por causa dos seus muitos crimes,
    pois se rebelaram contra ti.

11 Alegrem-se, porém,
    todos os que se refugiam em ti;
cantem sempre de alegria!
Estende sobre eles a tua proteção.
Em ti exultem os que amam o teu nome.
12 Pois tu, Senhor, abençoas o justo;
o teu favor o protege como um escudo.

Notas al pie

  1. 5.3 Ou o meu sacrifício