O Livro

Salmos 35

Salmo de David.

1Senhor, peço-te que acuses esses mesmos
    que me estão a acusar;
combate os que me combatem.
Com as tuas armas, protege-me,
levanta-te e esbarra o caminho aos meus perseguidores.
Repete-me, para eu ficar descansado,
    que és a minha salvação.
Lança a confusão e a vergonha no meio
dos que procuram matar-me;
que recuem, dêem meia-volta
    e que sejam derrotados os que me querem mal.
Sopra neles como o vento na palha,
    que um anjo de Deus os faça fugir.
Que para eles o caminho da vida se torne escuro e traiçoeiro,
    e que o anjo do Senhor os persiga.
Porque, sem eu lhes ter feito mal algum,
    prepararam-me uma armadilha,
    cavaram um fosso no meu caminho,
    para me apanharem.
Que sejam pois destruídos, inesperadamente,
e apanhados na própria rede que esconderam para mim,
presos na mesma armadilha com que queriam liquidar-me.

E eu me alegrarei intensamente no Senhor
    e na libertação que me trará.
10 Todo o meu ser louvará o Senhor dizendo:
“Quem é que existe, igual a ti,
    que livras efectivamente o pobre
    daquele que o oprime por ser mais forte que ele,
sim, o pobre e o necessitado daquele que os rouba.

11 Levantaram-se contra mim falsas testemunhas,
que me acusaram de coisas
    de que eu até nunca tinha ouvido falar antes.
12 Pagaram-me com o mal, o bem que lhes fiz;
queriam lançar-me à morte.
13 E contudo, quando estavam doentes,
    eu punha-me triste, por causa deles,
o meu espírito sentia-se abatido,
    e recusava comer,
e estava sempre, no meu íntimo, fazendo oração a Deus.
14 Estava em cuidados como se se tratasse do meu próprio irmão,
    do meu melhor amigo, que estivesse às portas da morte;
andava abatido e lamentava-me
    como se fosse a minha mãe que estivesse a sofrer.
15 E agora, que estou em dificuldades,
    põem-se todos contentes;
e reúnem-se, esses miseráveis,
    reúnem-se para juntarem as suas forças contra mim,
e eu sem saber de nada;
rasgavam já, antecipadamente e sem descanso,
    a minha vida.
16 Quando havia festas, juntavam-se,
    cheios de hipocrisia e de desprezo,
    rangendo os dentes de raiva contra mim.

17 Senhor, até quando verás isto, sem fazer nada?
Liberta a minha alma dos seus ataques.
Eu só tenho uma vida, e estes, como leões, querem destruí-la.
18 Eu te agradecerei publicamente,
    perante todo o ajuntamento do teu povo;
na frente da multidão hei-de falar sobre toda a tua grandeza.

19 Não têm razão, esses que se alegram
    pensando no mal que me farão,
nem esses que se piscam os olhos astuciosamente, uns aos outros,
    satisfeitos com os prejuízos que me darão injustamente.
20 São pessoas que nem sabem falar de coisas pacíficas,
só andam é a tramar a vida das pessoas sossegadas e boas.
21 Bradam que me têm visto fazendo o mal,
    e dizem: “Ah! Ah! Vimo-lo com os nossos próprios olhos”.

22 Mas tu, Senhor, sabes tudo;
não te cales, não me desampares.
23 Levanta-te para julgares sobre este assunto na minha vida,
    Senhor meu Deus, e para defenderes a minha causa.
24 Julga-me segundo a tua justiça, Senhor Deus meu,
    e não deixes que fiquem felizes com as minhas dificuldades.
25 Não os deixes dizerem:
    “Ah! Em breve, seremos satisfeitos, e havemos de o apanhar”.
26 Que sejam eles, sim, a ficar mal e envergonhados, todos juntos,
    esses que se regozijam com as minhas dificuldades;
que sejam apanhados na confusão,
    esses que querem subir na vida à minha custa.
27 Mas que tenham grandes alegrias os que desejam o meu bem,
    e que nunca deixem de cantar a Deus dizendo:
“Grande é o Senhor
    que tem prazer em ver prosperar os que o servem”.
28 E assim todo o dia
    eu te louvarei por causa da tua justiça.

King James Version

Psalm 35

1Plead my cause, O Lord, with them that strive with me: fight against them that fight against me.

Take hold of shield and buckler, and stand up for mine help.

Draw out also the spear, and stop the way against them that persecute me: say unto my soul, I am thy salvation.

Let them be confounded and put to shame that seek after my soul: let them be turned back and brought to confusion that devise my hurt.

Let them be as chaff before the wind: and let the angel of the Lord chase them.

Let their way be dark and slippery: and let the angel of the Lord persecute them.

For without cause have they hid for me their net in a pit, which without cause they have digged for my soul.

Let destruction come upon him at unawares; and let his net that he hath hid catch himself: into that very destruction let him fall.

And my soul shall be joyful in the Lord: it shall rejoice in his salvation.

10 All my bones shall say, Lord, who is like unto thee, which deliverest the poor from him that is too strong for him, yea, the poor and the needy from him that spoileth him?

11 False witnesses did rise up; they laid to my charge things that I knew not.

12 They rewarded me evil for good to the spoiling of my soul.

13 But as for me, when they were sick, my clothing was sackcloth: I humbled my soul with fasting; and my prayer returned into mine own bosom.

14 I behaved myself as though he had been my friend or brother: I bowed down heavily, as one that mourneth for his mother.

15 But in mine adversity they rejoiced, and gathered themselves together: yea, the abjects gathered themselves together against me, and I knew it not; they did tear me, and ceased not:

16 With hypocritical mockers in feasts, they gnashed upon me with their teeth.

17 Lord, how long wilt thou look on? rescue my soul from their destructions, my darling from the lions.

18 I will give thee thanks in the great congregation: I will praise thee among much people.

19 Let not them that are mine enemies wrongfully rejoice over me: neither let them wink with the eye that hate me without a cause.

20 For they speak not peace: but they devise deceitful matters against them that are quiet in the land.

21 Yea, they opened their mouth wide against me, and said, Aha, aha, our eye hath seen it.

22 This thou hast seen, O Lord: keep not silence: O Lord, be not far from me.

23 Stir up thyself, and awake to my judgment, even unto my cause, my God and my Lord.

24 Judge me, O Lord my God, according to thy righteousness; and let them not rejoice over me.

25 Let them not say in their hearts, Ah, so would we have it: let them not say, We have swallowed him up.

26 Let them be ashamed and brought to confusion together that rejoice at mine hurt: let them be clothed with shame and dishonour that magnify themselves against me.

27 Let them shout for joy, and be glad, that favour my righteous cause: yea, let them say continually, Let the Lord be magnified, which hath pleasure in the prosperity of his servant.

28 And my tongue shall speak of thy righteousness and of thy praise all the day long.