O Livro

Provérbios 6:1-35

Aviso contra a loucura

1Meu filho, se ficaste por fiador de alguém que conheces mal,

garantindo as suas dívidas,

2caíste numa armadilha feita de palavras,

de promessas que tu próprio assinaste.

3Livra-te, depressa, se ainda puderes!

Põe de lado a altivez, pois estás nas mãos doutra pessoa;

vai e livra o teu nome desse compromisso.

4Não vás dormir, nem sequer descansar,

sem tratar disso.

5Se conseguires safar-te dessa rede em que foste apanhado,

podes comparar-te a uma gazela

que livrou a vida da arma do caçador,

ou a um pássaro que escapou da armadilha que lhe prepararam.

6Vai ter com a formiga, preguiçoso!

Observa o seu comportamento e aprende!

7Ainda que não tenha nem chefe,

nem governador, nem superior,

8contudo, sabe que deve trabalhar bem no verão,

juntando alimento, tendo em vista o inverno.

9Mas tu, preguiçoso, tudo o que sabes fazer é dormir!

Quando é que te levantas e despertas?

10“Deixa-me dormir mais um bocado!”

E continuas, pestanejando mais um bocado,

cruzando mais um bocado os braços,

ficando mais um bocado na cama!

11É assim que a pobreza te chegará,

como um ladrão, sem te dares conta;

a miséria te destruirá,

como por um bandido armado.

12Este é o retrato duma criatura perversa e corrupta:

para já, tem a mentira constantemente na boca.

13Esconde, fingidamente, os seus verdadeiros pensamentos

e só os comunica por meio de sinais disfarçados, com os olhos,

e de acenos com os pés e com os dedos.

14Depois tem o coração cheio de malvadez;

passa o tempo todo a engendrar o mal

e a semear desavenças entre toda a gente.

15Esses, sem esperarem, serão destruídos;

sem contemplações, sem remédio!

16Há seis coisas que o Senhor aborrece

e até mesmo sete que ele detesta:

17a altivez,

a mentira,

mãos que derramam o sangue inocente,

18o andar a tramar o mal contra os outros,

avidez em fazer o mal,

19o falso testemunho,

e o semear a discórdia entre irmãos.

Aviso contra o adultério

20Meu filho, guarda o mandamento que teu pai te ensinou

e também não desprezes os que a tua mãe te deu.

21Ata-os para sempre no teu coração;

pendura-os ao teu pescoço,

22para que durante o dia, e pela noite fora, eles te dirijam

e te protejam de tudo o que possa vir a prejudicar-te.

Quando acordares de manhã,

essas instruções te conduzirão durante o novo dia.

23Porque o mandamento é uma lâmpada e o ensino uma luz,

avisando-te dos perigos, ajudando-te a viver com justiça.

24Conservar-te-ão longe da mulher perversa

e dos seus falsos afagos.

25Não te excites com a sua beleza;

não te prendas com os olhares que te dá.

26Por causa duma mulher assim,

um homem pode tornar-se miserável;

uma adúltera pode fazer-lhe perder a vida.

27Ninguém pode esconder um pedaço de lenha,

que arda dentro de si, sem que se queime.

28Não há ninguém que consiga andar descalço sobre brasas,

sem que se lhe queimem os pés.

29É o que acontece com quem comete adultério com a mulher do próximo;

não poderá ficar sem castigo, o seu pecado.

30Poderá, talvez, haver uma certa desculpa para um indivíduo

que rouba para matar a fome.

31Mesmo assim, a justiça obriga-o a pagar multiplicadamente o que roubou,

a ponto de chegar a ficar sem nada do que tinha antes.

32Mas o que comete adultério está louco,

está a arruinar a sua própria alma!

33Chagas e uma vida desgraçada é que ganha com isso,

além de uma vergonha que nunca se apagará.

34O marido da mulher com quem adulterou ficará furioso,

no seu ciúme, e não lhe perdoará,

quando se lhe apresentar ocasião de vingança.

35Nem aceitará nada de tudo quanto penses oferecer-lhe,

ou fazer-lhe, para o apaziguar.

King James Version

Proverbs 6:1-35

1My son, if thou be surety for thy friend, if thou hast stricken thy hand with a stranger, 2Thou art snared with the words of thy mouth, thou art taken with the words of thy mouth. 3Do this now, my son, and deliver thyself, when thou art come into the hand of thy friend; go, humble thyself, and make sure thy friend.6.3 and make…: or, so shalt thou prevail with thy friend 4Give not sleep to thine eyes, nor slumber to thine eyelids. 5Deliver thyself as a roe from the hand of the hunter, and as a bird from the hand of the fowler.

6¶ Go to the ant, thou sluggard; consider her ways, and be wise: 7Which having no guide, overseer, or ruler, 8Provideth her meat in the summer, and gathereth her food in the harvest. 9How long wilt thou sleep, O sluggard? when wilt thou arise out of thy sleep? 10Yet a little sleep, a little slumber, a little folding of the hands to sleep: 11So shall thy poverty come as one that travelleth, and thy want as an armed man.

12¶ A naughty person, a wicked man, walketh with a froward mouth. 13He winketh with his eyes, he speaketh with his feet, he teacheth with his fingers; 14Frowardness is in his heart, he deviseth mischief continually; he soweth discord.6.14 soweth: Heb. casteth forth 15Therefore shall his calamity come suddenly; suddenly shall he be broken without remedy.

16¶ These six things doth the LORD hate: yea, seven are an abomination unto him:6.16 unto…: Heb. of his soul 17A proud look, a lying tongue, and hands that shed innocent blood,6.17 A proud…: Heb. Haughty eyes 18An heart that deviseth wicked imaginations, feet that be swift in running to mischief, 19A false witness that speaketh lies, and he that soweth discord among brethren.

20¶ My son, keep thy father’s commandment, and forsake not the law of thy mother: 21Bind them continually upon thine heart, and tie them about thy neck. 22When thou goest, it shall lead thee; when thou sleepest, it shall keep thee; and when thou awakest, it shall talk with thee. 23For the commandment is a lamp; and the law is light; and reproofs of instruction are the way of life:6.23 lamp: or, candle 24To keep thee from the evil woman, from the flattery of the tongue of a strange woman.6.24 of the…: or, of the strange tongue 25Lust not after her beauty in thine heart; neither let her take thee with her eyelids. 26For by means of a whorish woman a man is brought to a piece of bread: and the adulteress will hunt for the precious life.6.26 the adulteress: Heb. the woman of a man, or, a man’s wife 27Can a man take fire in his bosom, and his clothes not be burned? 28Can one go upon hot coals, and his feet not be burned? 29So he that goeth in to his neighbour’s wife; whosoever toucheth her shall not be innocent. 30Men do not despise a thief, if he steal to satisfy his soul when he is hungry; 31But if he be found, he shall restore sevenfold; he shall give all the substance of his house. 32But whoso committeth adultery with a woman lacketh understanding: he that doeth it destroyeth his own soul.6.32 understanding: Heb. heart 33A wound and dishonour shall he get; and his reproach shall not be wiped away. 34For jealousy is the rage of a man: therefore he will not spare in the day of vengeance. 35He will not regard any ransom; neither will he rest content, though thou givest many gifts.6.35 He will…: Heb. He will not accept the face of any ransom