O Livro

Números 24

1Balaão viu bem que os planos do Senhor eram de abençoar Israel. Por isso, nem sequer foi desta vez procurar adivinhá-los, como fizera antes. Em vez disso, voltou-se logo para o deserto. Olhou para os israelitas, que se encontrava lá em baixo, distribuído pelas suas áreas tribais.

E o Espírito de Deus veio sobre ele, declarando esta profecia a respeito do povo:

“Balaão, filho de Beor,
o homem que tem os olhos abertos,
que ouve a palavra de Deus,
e que tem a visão da parte do Todo-Poderoso.
Inclina-se até ao chão, mas tem os olhos abertos:

Oh! Que alegrias esperam por Israel,
que contentamentos haverá nos lares de Jacob!

Vejo-os espalhados diante de mim como vales verdes,
como jardins verdejantes à beira de rios,
como aloés plantadas pelo próprio Senhor,
como cedros junto à fonte de água.
A água corre dos reservatórios deste povo,
e com a água, as searas produzirão muito.

O seu rei revelar-se-á como sendo bem maior do que Agague.
O seu reino será exaltado.

Deus os tirou do Egito.
Israel tem o poder de um boi selvagem.
Devorará as nações que se lhe opuserem,
esmigalhará os seus ossos em pó,
crivá-los-á de flechas.
Ali está Israel descansando como um leão, como uma leoa:
Quem ousará perturbá-lo?

Abençoado será quem te abençoar, ó Israel,
e maldito quem te amaldiçoar!”

10 O rei Balaque estava cheio de cólera. Brandindo os punhos cerrados de fúria, gritou: “Eu chamei-te para amaldiçoares os meus inimigos e afinal acabas por abençoá-los já por três vezes! 11 Fora daqui! Vai lá para donde vieste! Tinha planeado elevar-te a um cargo de grande honra, mas o Senhor privou-te desse privilégio!”

12 Balaão replicou: “Não disse eu aos teus delegados 13 que mesmo que me dessem um palácio cheio de ouro e prata, não poderia ir além das palavras do Senhor? Não poderia dizer uma só palavra da minha lavra. 14 Sim, vou com certeza regressar para donde vim, para a minha terra. Mas primeiro deixa-me dizer-te o que os israelitas vão fazer ao teu povo futuramente.”

A quarta profecia de Balaão

15 E disse-lhe mais esta profecia:

“Balaão, o filho de Beor,
é o homem cujos olhos estão abertos,
16 que ouve as palavras de Deus,
que conhece os pensamentos do Altíssimo,
que tem a visão da parte do Todo-Poderoso,
que se inclina até ao chão e cujos olhos estão abertos:

17 Vejo o futuro de Israel,
vejo bem longe o seu trilho.
Há de aparecer uma estrela vinda de Jacob!
O governante de Israel esmigalhará o povo de Moabe,
e destruirá os filhos de Sete.
18 Israel virá a possuir todo o Edom e Seir.
Eles vencerão os seus inimigos.
19 De Jacob erguer-se-á um que na sua força
acabará com os sobreviventes da capital.”

A quinta profecia de Balaão

20 Em seguida, Balaão virou-se para Amaleque e profetizou ainda:

“Amaleque foi o primeiro das nações,
mas o seu destino será a destruição!”

A sexta profecia de Balaão

21 Depois, referindo-se aos queneus disse:

“Sim, estás situada num sítio com toda a segurança,
o teu ninho está posto sobre as rochas!
22 Mas os queneus serão também destruídos
e o poderoso exército do rei da Assíria
te levará para longe desta terra!”

A sétima profecia de Balaão

23 E concluiu assim estas profecias:

“Ai de nós! Quem poderá viver
quando é Deus quem faz estas coisas?
24 Virão até barcos das costas de Chipre,
que oprimirão tanto Eber como a Assíria.
Também eles hão de ser destruídos.”

25 Desta forma, se separaram Balaão e Balaque e regressaram cada um ao seu lugar.