O Livro

2 Coríntios 1

1Esta carta é enviada por mim, Paulo, apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus, e também pelo irmão Timóteo, à igreja de Deus em Corinto e a todos os santos na Grécia.

Que Deus nosso Pai e o Senhor Jesus Cristo vos dê a sua graça e a sua paz.

O Deus de todo o conforto

Louvado seja o nosso Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, e a fonte de toda a misericórdia e ajuda! É ele quem nos conforta nas nossas tribulações; e isto para que também possamos ajudar outros que estejam aflitos, com a mesma ajuda e conforto que Deus nos deu. E podem ter a certeza de que quanto mais sofrermos por causa de Cristo, tanto mais ele mostrará para connosco o seu conforto através de Cristo.

Tem sido através de tribulações que vos temos levado o alívio e a salvação de Deus. Mas no meio dessas provações Deus nos confortou, o que se tornou em vosso benefício, pois pudemos mostrar­vos pela nossa experiência pessoal a maneira como Deus ajuda todos os que passam pelos mesmos sofrimentos. Ele vos dará, pois, a força para suportá­los igualmente.

Penso que é justo, queridos irmãos, que estejam ao corrente de todas as lutas por que temos atravessado na província da Ásia. Fomos extremamente maltratados; receámos mesmo não conseguir sobreviver. Era como se nos sentíssemos já condenados a morrer, dando­nos bem conta da pouca confiança que mereciam as nossas próprias forças; e isso levou­nos a pôr tudo nas mãos de Deus, o único que pode ressuscitar os mortos. 10 E com efeito ele nos livrou de morte terrível, e esperamos que assim nos livrará no futuro. 11 Mas vocês também nos podem ajudar com as vossas orações. E muitos louvores serão dados a Deus, em resultado das respostas às muitas orações a favor da nossa segurança!

Mudança nos planos por Paulo

12 Estamos bem satisfeitos porque a nossa consciência nos é testemunha de que temos sido puros e sinceros, dependendo em absoluto da graça do Senhor para nos ajudar, e não das nossas capacidades. E isso é verdade especialmente em relação a vocês. 13 Nas minhas cartas tenho sido directo, não há nada escrito nas entrelinhas e nada que vocês não possam entender. Tenho esperança que algum dia vocês hão­de compreender­nos completamente, 14 apesar de agora isso ainda não acontecer. Então no dia em que o Senhor Jesus voltar, vocês terão orgulho de nós da mesma maneira que nós teremos orgulho de vocês.

15/16 E foi confiando na vossa compreensão que eu cheguei a fazer planos para ir ver­vos na minha viagem para a Macedónia, assim como também quando regressasse, para que dessa forma tivessem uma bênção duplicada, e depois com a vossa ajuda preparasse a minha deslocação à Judeia.

17 E então porque mudei eu de ideias, poderão perguntar? Terá sido por leviandade? Ou porque agi com um espírito mundano, dizendo “sim”, e estando a pensar que era “não”? De forma alguma! 18 Tão certo como Deus ser verdadeiro, quando digo “sim”, quero mesmo dizer “sim”. 19/20 Timóteo, Silas e eu vos temos falado de Jesus Cristo, o Filho de Deus, e esse não é uma pessoa que quando diga “sim” esteja a querer dizer “não”. Pelo contrário o seu “sim” é absoluto; é a verdade. Todas as suas promessas ele as cumpre, porquanto ele é fiel; e com isto damos glória ao seu nome. 21 Foi este Deus quem nos fez, a vocês e a nós, fiéis cristãos, e nos escolheu a nós para apóstolos para pregar as boas novas. 22 Ele gravou em nós a sua marca de garantia — o seu sinal de propriedade — que é o seu Santo Espírito.

23 E Deus sabe que é verdade quando afirmo que se ainda não fui visitar­vos é porque tenho querido poupar­vos a severas repreensões. 24 Não é que tenhamos domínio sobre a vossa fé, que é aliás bastante forte já; mas no fundo o que queremos é contribuir para a vossa alegria.

The Message

2 Corinthians 1

11-2 I, Paul, have been sent on a special mission by the Messiah, Jesus, planned by God himself. I write this to God’s congregation in Corinth, and to believers all over Achaia province. May all the gifts and benefits that come from God our Father and the Master, Jesus Christ, be yours! Timothy, someone you know and trust, joins me in this greeting.

The Rescue

3-5 All praise to the God and Father of our Master, Jesus the Messiah! Father of all mercy! God of all healing counsel! He comes alongside us when we go through hard times, and before you know it, he brings us alongside someone else who is going through hard times so that we can be there for that person just as God was there for us. We have plenty of hard times that come from following the Messiah, but no more so than the good times of his healing comfort—we get a full measure of that, too.

6-7 When we suffer for Jesus, it works out for your healing and salvation. If we are treated well, given a helping hand and encouraging word, that also works to your benefit, spurring you on, face forward, unflinching. Your hard times are also our hard times. When we see that you’re just as willing to endure the hard times as to enjoy the good times, we know you’re going to make it, no doubt about it.

8-11 We don’t want you in the dark, friends, about how hard it was when all this came down on us in Asia province. It was so bad we didn’t think we were going to make it. We felt like we’d been sent to death row, that it was all over for us. As it turned out, it was the best thing that could have happened. Instead of trusting in our own strength or wits to get out of it, we were forced to trust God totally—not a bad idea since he’s the God who raises the dead! And he did it, rescued us from certain doom. And he’ll do it again, rescuing us as many times as we need rescuing. You and your prayers are part of the rescue operation—I don’t want you in the dark about that either. I can see your faces even now, lifted in praise for God’s deliverance of us, a rescue in which your prayers played such a crucial part.

12-14 Now that the worst is over, we’re pleased we can report that we’ve come out of this with conscience and faith intact, and can face the world—and even more importantly, face you with our heads held high. But it wasn’t by any fancy footwork on our part. It was God who kept us focused on him, uncompromised. Don’t try to read between the lines or look for hidden meanings in this letter. We’re writing plain, unembellished truth, hoping that you’ll now see the whole picture as well as you’ve seen some of the details. We want you to be as proud of us as we are of you when we stand together before our Master Jesus.

15-16 Confident of your welcome, I had originally planned two great visits with you—coming by on my way to Macedonia province, and then again on my return trip. Then we could have had a bon-voyage party as you sent me off to Judea. That was the plan.

17-19 Are you now going to accuse me of being flip with my promises because it didn’t work out? Do you think I talk out of both sides of my mouth—a glib yes one moment, a glib no the next? Well, you’re wrong. I try to be as true to my word as God is to his. Our word to you wasn’t a careless yes canceled by an indifferent no. How could it be? When Silas and Timothy and I proclaimed the Son of God among you, did you pick up on any yes-and-no, on-again, off-again waffling? Wasn’t it a clean, strong Yes?

20-22 Whatever God has promised gets stamped with the Yes of Jesus. In him, this is what we preach and pray, the great Amen, God’s Yes and our Yes together, gloriously evident. God affirms us, making us a sure thing in Christ, putting his Yes within us. By his Spirit he has stamped us with his eternal pledge—a sure beginning of what he is destined to complete.

23 Now, are you ready for the real reason I didn’t visit you in Corinth? As God is my witness, the only reason I didn’t come was to spare you pain. I was being considerate of you, not indifferent, not manipulative.

24 We’re not in charge of how you live out the faith, looking over your shoulders, suspiciously critical. We’re partners, working alongside you, joyfully expectant. I know that you stand by your own faith, not by ours.