Nova Versão Internacional

Salmos 7

Salmo 7

Confissão de Davi, que ele cantou ao Senhor acerca de Cuxe, o benjamita.

Senhor, meu Deus, em ti me refugio;
salva-me e livra-me de todos
    os que me perseguem,
para que, como leões,
    não me dilacerem nem me despedacem,
    sem que ninguém me livre.

Senhor, meu Deus, se assim procedi,
se nas minhas mãos há injustiça,
se fiz algum mal a um amigo
ou se poupei[a] sem motivo o meu adversário,
persiga-me o meu inimigo até me alcançar,
no chão me pisoteie e aniquile a minha vida,
    lançando a minha honra no pó.Pausa

Levanta-te, Senhor, na tua ira;
ergue-te contra o furor dos meus adversários.
Desperta-te, meu Deus! Ordena a justiça!
Reúnam-se os povos ao teu redor.
Das alturas reina sobre eles.
O Senhor é quem julga os povos.
Julga-me, Senhor, conforme a minha justiça,
    conforme a minha integridade.
Deus justo,
    que sondas as mentes e os corações,
dá fim à maldade dos ímpios
    e ao justo dá segurança.

10 O meu escudo está nas mãos de Deus,
    que salva o reto de coração.
11 Deus é um juiz justo,
    um Deus que manifesta cada dia o seu furor.
12 Se o homem não se arrepende,
    Deus afia a sua espada,
    arma o seu arco e o aponta,
13 prepara as suas armas mortais
    e faz de suas setas flechas flamejantes.

14 Quem gera a maldade, concebe sofrimento
    e dá à luz a desilusão.
15 Quem cava um buraco e o aprofunda
    cairá nessa armadilha que fez.
16 Sua maldade se voltará contra ele;
sua violência cairá sobre a sua própria cabeça.

17 Darei graças ao Senhor por sua justiça;
ao nome do Senhor Altíssimo
    cantarei louvores.

Notas al pie

  1. 7.4 Ou explorei

The Message

Psalm 7

A David Psalm

11-2 God! God! I am running to you for dear life;
    the chase is wild.
If they catch me, I’m finished:
    ripped to shreds by foes fierce as lions,
    dragged into the forest and left
    unlooked for, unremembered.

3-5 God, if I’ve done what they say—
    betrayed my friends,
    ripped off my enemies—
If my hands are really that dirty,
    let them get me, walk all over me,
    leave me flat on my face in the dirt.

6-8 Stand up, God; pit your holy fury
    against my furious enemies.
Wake up, God. My accusers have packed
    the courtroom; it’s judgment time.
Take your place on the bench, reach for your gavel,
    throw out the false charges against me.
I’m ready, confident in your verdict:
    “Innocent.”

9-11 Close the book on Evil, God,
    but publish your mandate for us.
You get us ready for life:
    you probe for our soft spots,
    you knock off our rough edges.
And I’m feeling so fit, so safe:
    made right, kept right.
God in solemn honor does things right,
    but his nerves are sandpapered raw.

11-13 Nobody gets by with anything.
    God is already in action—
Sword honed on his whetstone,
    bow strung, arrow on the string,
Lethal weapons in hand,
    each arrow a flaming missile.

14 Look at that guy!
    He had sex with sin,
    he’s pregnant with evil.
Oh, look! He’s having
    the baby—a Lie-Baby!

15-16 See that man shoveling day after day,
    digging, then concealing, his man-trap
    down that lonely stretch of road?
Go back and look again—you’ll see him in it headfirst,
    legs waving in the breeze.
That’s what happens:
    mischief backfires;
    violence boomerangs.

17 I’m thanking God, who makes things right.
I’m singing the fame of heaven-high God.