Nova Versão Internacional

Salmos 142

Salmo 142

Poema de Davi, quando ele estava na caverna. Uma oração.

Em alta voz clamo ao Senhor;
elevo a minha voz ao Senhor,
    suplicando misericórdia.
Derramo diante dele o meu lamento;
a ele apresento a minha angústia.

Quando o meu espírito desanima,
    és tu quem conhece o caminho
    que devo seguir.
Na vereda por onde ando
    esconderam uma armadilha contra mim.
Olha para a minha direita e vê;
    ninguém se preocupa comigo.
Não tenho abrigo seguro;
    ninguém se importa com a minha vida.

Clamo a ti, Senhor, e digo:
    Tu és o meu refúgio;
és tudo o que tenho na terra dos viventes.
Dá atenção ao meu clamor,
    pois estou muito abatido;
livra-me dos que me perseguem,
    pois são mais fortes do que eu.
Liberta-me da prisão,
    e renderei graças ao teu nome.
Então os justos se reunirão à minha volta
    por causa da tua bondade para comigo.

Nkwa Asem

Nnwom 142

Mmoa mpaebɔ

1Misu frɛ Awurade sɛ ɔmmoa me; mesrɛ no. Meka me nsɛm nyinaa kyerɛ no; meka me haw nyinaa kyerɛ no. Sɛ mereyɛ apa abaw a, onim nea ɛsɛ sɛ meyɛ. Ɔkwan a menam so no m’atamfo asum me firi wɔ so. Sɛ mehwɛ me ho a, minhu ɔboafo biara; ɔbanbɔfo nso nni hɔ. Obiara nso nhwɛ me. Awurade, misu frɛ wo sɛ boa me; wo Awurade, wone me hwɛfo. Wone nea ne ho hia me wɔ m’asetena nyinaa mu.

Tie me sufrɛ na boa me efisɛ, m’aba mu abu. Gye me fi m’atamfo nsam efisɛ, wɔyɛ den ma me dodo. Yi m’awerɛhow fi me so na esiane papa a woayɛ me nti, mɛkamfo wo wɔ wo nkurɔfo gua a wɔabɔ mu.