New Living Translation

Psalm 79

Psalm 79

A psalm of Asaph.

O God, pagan nations have conquered your land,
    your special possession.
They have defiled your holy Temple
    and made Jerusalem a heap of ruins.
They have left the bodies of your servants
    as food for the birds of heaven.
The flesh of your godly ones
    has become food for the wild animals.
Blood has flowed like water all around Jerusalem;
    no one is left to bury the dead.
We are mocked by our neighbors,
    an object of scorn and derision to those around us.

O Lord, how long will you be angry with us? Forever?
    How long will your jealousy burn like fire?
Pour out your wrath on the nations that refuse to acknowledge you—
    on kingdoms that do not call upon your name.
For they have devoured your people Israel,[a]
    making the land a desolate wilderness.
Do not hold us guilty for the sins of our ancestors!
    Let your compassion quickly meet our needs,
    for we are on the brink of despair.

Help us, O God of our salvation!
    Help us for the glory of your name.
Save us and forgive our sins
    for the honor of your name.
10 Why should pagan nations be allowed to scoff,
    asking, “Where is their God?”
Show us your vengeance against the nations,
    for they have spilled the blood of your servants.
11 Listen to the moaning of the prisoners.
    Demonstrate your great power by saving those condemned to die.

12 O Lord, pay back our neighbors seven times
    for the scorn they have hurled at you.
13 Then we your people, the sheep of your pasture,
    will thank you forever and ever,
    praising your greatness from generation to generation.

Notas al pie

  1. 79:7 Hebrew devoured Jacob. See note on 44:4.

Nova Versão Internacional

Salmos 79

Salmo 79

Salmo da família de Asafe.

Ó Deus, as nações invadiram a tua herança,
profanaram o teu santo templo,
reduziram Jerusalém a ruínas.
Deram os cadáveres dos teus servos
    às aves do céu por alimento,
a carne dos teus fiéis, aos animais selvagens.
Derramaram o sangue deles como água
    ao redor de Jerusalém,
e não há ninguém para sepultá-los.
Somos objeto de zombaria
    para os nossos vizinhos,
de riso e menosprezo
    para os que vivem ao nosso redor.

Até quando, Senhor?
Ficarás irado para sempre?
Arderá o teu ciúme como o fogo?
Derrama a tua ira sobre as nações
    que não te reconhecem,
sobre os reinos
    que não invocam o teu nome,
pois devoraram Jacó,
    deixando em ruínas a sua terra.
Não cobres de nós
    as maldades dos nossos antepassados;
venha depressa ao nosso encontro
    a tua misericórdia,
pois estamos totalmente desanimados!
Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador,
    para a glória do teu nome;
livra-nos e perdoa os nossos pecados,
    por amor do teu nome.
10 Por que as nações haverão de dizer:
    “Onde está o Deus deles?”
Diante dos nossos olhos, mostra às nações
    a tua vingança pelo sangue dos teus servos.
11 Cheguem à tua presença
    os gemidos dos prisioneiros.
Pela força do teu braço
    preserva os condenados à morte.

12 Retribui sete vezes mais aos nossos vizinhos
    as afrontas com que te insultaram, Senhor!
13 Então nós, o teu povo,
as ovelhas das tuas pastagens,
    para sempre te louvaremos;
de geração em geração
    cantaremos os teus louvores.