New International Reader's Version

Song of Songs 1

1This is the greatest song Solomon ever wrote.

A Shulammite woman says to King Solomon

“I long for your lips to kiss me!
    Your love makes me happier than wine does.
The lotion you have on pleases me.
    Your name is like perfume that is poured out.
    No wonder the young women love you!
Take me away with you. Let us hurry!
    King Solomon, bring me into your palace.”

The other women say

“King Solomon, you fill us with joy. You make us happy.
    We praise your love more than we praise wine.”

The woman says to the king

“It is right for them to love you!

“Women of Jerusalem,
    my skin is dark but lovely.
It is dark like the tents in Kedar.
    It’s like the curtains of Solomon’s tent.
Don’t stare at me because I’m dark.
    The sun has made my skin look like this.
My brothers were angry with me.
    They made me take care of the vineyards.
    I haven’t even taken care of my own vineyard.

“King Solomon, I love you.
    So tell me where you take care of your flock.
    Tell me where you rest your sheep at noon.
Why should I have to act like a prostitute
    near the flocks of your friends?”

The other women say

“You are the most beautiful woman of all.
    Don’t you know where to find the king?
    Follow the tracks the sheep make.
Take care of your young goats
    near the tents of the shepherds.”

King Solomon says to the Shulammite woman

“You are my love.
    You are like a mare among Pharaoh’s chariot horses.
10 Your earrings make your cheeks even more beautiful.
    Your strings of jewels make your neck even more lovely.
11 We will make gold earrings for you.
    We’ll decorate them with silver.”

The woman says

12 “The king was at his table.
    My perfume gave off a sweet smell.
13 The one who loves me is like a small bag of myrrh
    resting between my breasts.
14 He is like henna flowers
    from the vineyards of En Gedi.”

The king says

15 “You are so beautiful, my love!
    So beautiful!
    Your eyes are like doves.”

The woman says

16 “You are so handsome, my love!
    So charming!
    The green field is our bed.”

The king says

17 “Cedar trees above us are the beams of our house.
    Fir trees overhead are its rafters.”

O Livro

Cantares de Salomâo 1

1Este cântico foi composto pelo rei Salomão.

Ela:

Que ele me beije com a sua boca,
    porque o seu amor me é melhor do que o vinho.
Como o teu perfume é agradável!
Como o teu nome é doce!
Não admira que todas as raparigas gostem de ti!
Leva-me contigo; anda, corramos!

O rei levou-me para o seu palácio.
Como seremos felizes!
O seu amor é melhor para mim do que o vinho.
Não admira que todas as raparigas te apreciem!

Eu sou morena, mas bela, ó filhas de Jerusalém,
crestada como as tendas curtidas de Quedar;
e no entanto formosa como as tendas de seda de Salomão!
Não olhem sobranceiramente para mim, por eu ser assim escura,
    porque foi o Sol que me queimou.
Meus irmãos tinham-me má vontade
    e mandaram-me para fora
    a trabalhar nas vinhas sob os raios do Sol;
    e foi assim que a minha pele se queimou!

Diz-me, tu, a quem eu amo,
    para onde vais levar o teu rebanho a pastar?
Onde é que o farás descansar ao meio-dia?
Porque irei lá ter contigo,
    e assim não andarei no meio dos rebanhos dos teus companheiros,
    dando impressão duma rapariga de cabeça leve.

Ele:

Se ainda não o sabes, ó mulher mais bela de todas,
    segue as pisadas do meu rebanho,
    e apascenta as tuas cabras lá, junto às tendas dos pastores.
Eu comparo-te com uma linda égua, meu amor!
10 Como são bonitas as tuas faces,
    com o cabelo caindo-lhe aos lados!
Como fica soberbo o teu pescoço,
    com esse magnífico colar de pedras preciosas.
11 Havemos de te mandar fazer brincos de ouro e outras jóias de prata.

Ela:

12 O rei está no seu jardim,
    encantado com o meu perfume.
13 O seu amor, para mim,
    é como um ramalhete de mirra,
    que guardo entre os meus seios.

Ele:

14 A minha amada é um ramo de flores nos jardins de En-gedi.
15 Como és bela, meu amor, como és linda!
Teus olhos são suaves,
    como pombas.

Ela:

16/17 És gentil, meu querido;
a tua presença,
    assim sobre a relva, à sombra dos cedros, debaixo dos ciprestes,
    é tão agradável!