The Message

Psalm 81

An Asaph Psalm

11-5 A song to our strong God!
    a shout to the God of Jacob!
Anthems from the choir, music from the band,
    sweet sounds from lute and harp,
Trumpets and trombones and horns:
    it’s festival day, a feast to God!
A day decreed by God,
    solemnly ordered by the God of Jacob.
He commanded Joseph to keep this day
    so we’d never forget what he did in Egypt.

I hear this most gentle whisper from One
I never guessed would speak to me:

6-7 “I took the world off your shoulders,
    freed you from a life of hard labor.
You called to me in your pain;
    I got you out of a bad place.
I answered you from where the thunder hides,
    I proved you at Meribah Fountain.

8-10 “Listen, dear ones—get this straight;
    O Israel, don’t take this lightly.
Don’t take up with strange gods,
    don’t worship the latest in gods.
I’m God, your God, the very God
    who rescued you from doom in Egypt,
Then fed you all you could eat,
    filled your hungry stomachs.

11-12 “But my people didn’t listen,
    Israel paid no attention;
So I let go of the reins and told them, ‘Run!
    Do it your own way!’

13-16 “Oh, dear people, will you listen to me now?
    Israel, will you follow my map?
I’ll make short work of your enemies,
    give your foes the back of my hand.
I’ll send the God-haters cringing like dogs,
    never to be heard from again.
You’ll feast on my fresh-baked bread
    spread with butter and rock-pure honey.”

Nova Versão Internacional

Salmos 81

Salmo 81

Para o mestre de música. De acordo com a melodia Os Lagares. Da família de Asafe.

Cantem de alegria a Deus, nossa força;
aclamem o Deus de Jacó!
Comecem o louvor, façam ressoar o tamborim,
toquem a lira e a harpa melodiosa.

Toquem a trombeta na lua nova
e no dia de lua cheia, dia da nossa festa;
porque este é um decreto para Israel,
uma ordenança do Deus de Jacó,
que ele estabeleceu como estatuto para José,
    quando atacou o Egito.
Ali ouvimos uma língua[a] que não conhecíamos.

Ele diz: “Tirei o peso dos seus ombros;
suas mãos ficaram livres dos cestos de cargas.
Na sua aflição vocês clamaram e eu os livrei,
do esconderijo dos trovões lhes respondi;
eu os pus à prova nas águas de Meribá[b].Pausa

“Ouça, meu povo, as minhas advertências;
se tão-somente você me escutasse, ó Israel!
Não tenha deus estrangeiro no seu meio;
não se incline perante nenhum deus estranho.
10 Eu sou o Senhor, o seu Deus,
    que o tirei da terra do Egito.
Abra a sua boca, e eu o alimentarei.

11 “Mas o meu povo não quis ouvir-me;
Israel não quis obedecer-me.
12 Por isso os entreguei
    ao seu coração obstinado,
para seguirem os seus próprios planos.

13 “Se o meu povo apenas me ouvisse,
se Israel seguisse os meus caminhos,
14 com rapidez eu subjugaria os seus inimigos
e voltaria a minha mão
    contra os seus adversários!
15 Os que odeiam o Senhor
    se renderiam diante dele,
e receberiam um castigo perpétuo.
16 Mas eu sustentaria Israel
    com o melhor trigo,
e com o mel da rocha eu o satisfaria”.

Notas al pie

  1. 81.5 Ou voz
  2. 81.7 Meribá significa rebelião.