The Message

Psalm 65

A David Psalm

11-2 Silence is praise to you,
    Zion-dwelling God,
And also obedience.
    You hear the prayer in it all.

2-8 We all arrive at your doorstep sooner
    or later, loaded with guilt,
Our sins too much for us—
    but you get rid of them once and for all.
Blessed are the chosen! Blessed the guest
    at home in your place!
We expect our fill of good things
    in your house, your heavenly manse.
All your salvation wonders
    are on display in your trophy room.
Earth-Tamer, Ocean-Pourer,
    Mountain-Maker, Hill-Dresser,
Muzzler of sea storm and wave crash,
    of mobs in noisy riot—
Far and wide they’ll come to a stop,
    they’ll stare in awe, in wonder.
Dawn and dusk take turns
    calling, “Come and worship.”

9-13 Oh, visit the earth,
    ask her to join the dance!
Deck her out in spring showers,
    fill the God-River with living water.
Paint the wheat fields golden.
    Creation was made for this!
Drench the plowed fields,
    soak the dirt clods
With rainfall as harrow and rake
    bring her to blossom and fruit.
Snow-crown the peaks with splendor,
    scatter rose petals down your paths,
All through the wild meadows, rose petals.
    Set the hills to dancing,
Dress the canyon walls with live sheep,
    a drape of flax across the valleys.
Let them shout, and shout, and shout!
    Oh, oh, let them sing!

Nova Versão Internacional

Salmos 65

Salmo 65

Para o mestre de música. Salmo davídico. Um cântico.

O louvor te aguarda[a] em Sião, ó Deus;
os votos que te fizemos serão cumpridos.
Ó tu que ouves a oração,
a ti virão todos os homens.
Quando os nossos pecados pesavam sobre nós,
tu mesmo fizeste propiciação
    por nossas transgressões.
Como são felizes aqueles que escolhes
    e trazes a ti, para viverem nos teus átrios!
Transbordamos de bênçãos da tua casa,
    do teu santo templo!

Tu nos respondes
    com temíveis feitos de justiça,
ó Deus, nosso Salvador,
esperança de todos os confins da terra
    e dos mais distantes mares.
Tu que firmaste os montes pela tua força,
    pelo teu grande poder.
Tu que acalmas o bramido dos mares,
    o bramido de suas ondas,
    e o tumulto das nações.
Tremem os habitantes das terras distantes
    diante das tuas maravilhas;
do nascente ao poente
    despertas canções de alegria.

Cuidas da terra e a regas;
    fartamente a enriqueces.
Os riachos de Deus transbordam
    para que nunca falte o trigo,
pois assim ordenaste.[b]
10 Encharcas os seus sulcos
    e aplainas os seus torrões;
tu a amoleces com chuvas
    e abençoas as suas colheitas.
11 Coroas o ano com a tua bondade,
e por onde passas emana fartura;
12 fartura vertem as pastagens do deserto,
e as colinas se vestem de alegria.
13 Os campos se revestem de rebanhos
e os vales se cobrem de trigo;
    eles exultam e cantam de alegria!

Notas al pie

  1. 65.1 Ou O louvor é apropriado a ti
  2. 65.9 Ou pois é assim que preparas a terra.