The Message

Psalm 49

A Psalm of the Sons of Korah

11-2 Listen, everyone, listen—
    earth-dwellers, don’t miss this.
All you haves
    and have-nots,
All together now: listen.

3-4 I set plainspoken wisdom before you,
    my heart-seasoned understandings of life.
I fine-tuned my ear to the sayings of the wise,
    I solve life’s riddle with the help of a harp.

5-6 So why should I fear in bad times,
    hemmed in by enemy malice,
Shoved around by bullies,
    demeaned by the arrogant rich?

7-9 Really! There’s no such thing as self-rescue,
    pulling yourself up by your bootstraps.
The cost of rescue is beyond our means,
    and even then it doesn’t guarantee
Life forever, or insurance
    against the Black Hole.

10-11 Anyone can see that the brightest and best die,
    wiped out right along with fools and dunces.
They leave all their prowess behind,
    move into their new home, The Coffin,
The cemetery their permanent address.
    And to think they named counties after themselves!

12 We aren’t immortal. We don’t last long.
    Like our dogs, we age and weaken. And die.

13-15 This is what happens to those who live for the moment,
    who only look out for themselves:
Death herds them like sheep straight to hell;
    they disappear down the gullet of the grave;
They waste away to nothing—
    nothing left but a marker in a cemetery.
But me? God snatches me from the clutch of death,
    he reaches down and grabs me.

16-19 So don’t be impressed with those who get rich
    and pile up fame and fortune.
They can’t take it with them;
    fame and fortune all get left behind.
Just when they think they’ve arrived
    and folks praise them because they’ve made good,
They enter the family burial plot
    where they’ll never see sunshine again.

20 We aren’t immortal. We don’t last long.
    Like our dogs, we age and weaken. And die.

Nova Versão Internacional

Salmos 49

Salmo 49

Para o mestre de música. Salmo dos coraítas.

Ouçam isto vocês, todos os povos;
escutem, todos os que vivem neste mundo,
gente do povo, homens importantes,
ricos e pobres igualmente:
A minha boca falará com sabedoria;
a meditação do meu coração
    trará entendimento.
Inclinarei os meus ouvidos a um provérbio;
com a harpa exporei o meu enigma:

Por que deverei temer,
    quando vierem dias maus,
quando inimigos traiçoeiros me cercarem,
aqueles que confiam em seus bens
e se gabam de suas muitas riquezas?
Homem algum pode redimir seu irmão
ou pagar a Deus o preço de sua vida,
pois o resgate de uma vida não tem preço.
Não há pagamento que o livre
para que viva para sempre
e não sofra decomposição.
10 Pois todos podem ver que os sábios morrem,
como perecem o tolo e o insensato
e para outros deixam os seus bens.
11 Seus túmulos serão suas moradas
    para sempre,[a]
suas habitações de geração em geração,
ainda que tenham[b] dado seus nomes a terras.

12 O homem, mesmo que muito importante,
    não vive para sempre[c];
é como os animais, que perecem.

13 Este é o destino
    dos que confiam em si mesmos,
e dos seus seguidores,
    que aprovam o que eles dizem.Pausa
14 Como ovelhas,
    estão destinados à sepultura[d],
e a morte lhes servirá de pastor.
Pela manhã os justos triunfarão sobre eles!
A aparência deles se desfará na sepultura,
longe das suas gloriosas mansões.
15 Mas Deus redimirá a minha vida da sepultura
    e me levará para si.Pausa

16 Não se aborreça quando alguém se enriquece
e aumenta o luxo de sua casa;
17 pois nada levará consigo quando morrer;
não descerá com ele o seu esplendor.
18 Embora em vida ele se parabenize:
“Todos o elogiam, pois você está prosperando”,
19 ele se juntará aos seus antepassados,
    que nunca mais verão a luz.

20 O homem, mesmo que muito importante,
    não tem entendimento;
é como os animais, que perecem.

Notas al pie

  1. 49.11 Conforme a Septuaginta e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz Em seus pensamentos suas casas serão perpétuas.
  2. 49.11 Ou pois eles têm
  3. 49.12 Conforme o Texto Massorético. A Septuaginta e a Versão Siríaca dizem não tem entendimento. Veja o versículo 20.
  4. 49.14 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte; também no final deste versículo e no versículo 15.