The Message

Philemon

1-3 I, Paul, am a prisoner for the sake of Christ, here with my brother Timothy. I write this letter to you, Philemon, my good friend and companion in this work—also to our sister Apphia, to Archippus, a real trooper, and to the church that meets in your house. God’s best to you! Christ’s blessings on you!

4-7 Every time your name comes up in my prayers, I say, “Oh, thank you, God!” I keep hearing of the love and faith you have for the Master Jesus, which brims over to other believers. And I keep praying that this faith we hold in common keeps showing up in the good things we do, and that people recognize Christ in all of it. Friend, you have no idea how good your love makes me feel, doubly so when I see your hospitality to fellow believers.

To Call the Slave Your Friend

8-9 In line with all this I have a favor to ask of you. As Christ’s ambassador and now a prisoner for him, I wouldn’t hesitate to command this if I thought it necessary, but I’d rather make it a personal request.

10-14 While here in jail, I’ve fathered a child, so to speak. And here he is, hand-carrying this letter—Onesimus! He was useless to you before; now he’s useful to both of us. I’m sending him back to you, but it feels like I’m cutting off my right arm in doing so. I wanted in the worst way to keep him here as your stand-in to help out while I’m in jail for the Message. But I didn’t want to do anything behind your back, make you do a good deed that you hadn’t willingly agreed to.

15-16 Maybe it’s all for the best that you lost him for a while. You’re getting him back now for good—and no mere slave this time, but a true Christian brother! That’s what he was to me—he’ll be even more than that to you.

17-20 So if you still consider me a comrade-in-arms, welcome him back as you would me. If he damaged anything or owes you anything, chalk it up to my account. This is my personal signature—Paul—and I stand behind it. (I don’t need to remind you, do I, that you owe your very life to me?) Do me this big favor, friend. You’ll be doing it for Christ, but it will also do my heart good.

21-22 I know you well enough to know you will. You’ll probably go far beyond what I’ve written. And by the way, get a room ready for me. Because of your prayers, I fully expect to be your guest again.

23-25 Epaphras, my cellmate in the cause of Christ, says hello. Also my coworkers Mark, Aristarchus, Demas, and Luke. All the best to you from the Master, Jesus Christ!

O Livro

Filemón

Saudações de Paulo

1/2 Paulo, prisioneiro por pregar o evangelho de Jesus Cristo, e o irmão Timóteo dirigimos esta carta a Filémon, nosso muito querido colaborador no serviço de Deus, assim como a Ápia, nossa irmã na fé em Deus, e a Arquipo, nosso companheiro na luta, assim como à igreja que se reúne na sua casa.

A todos enviamos o nosso desejo de que a graça e a paz vos sejam dadas da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

A gratidão e oração de Paulo

4/5 Continuo sempre a dizer a Deus o meu agradecimento e a orar por ti, porque ouço falar da fé que tens no Senhor Jesus Cristo e do amor que tens para com ele e para com todo o povo de Deus. O meu pedido a Deus é que essa tua fé se comunique aos outros, para que possas ter um conhecimento pleno de tudo de bom que temos em Cristo. Tive muita alegria e fui muito encorajado em saber que o teu amor cristão é posto em prática, e como por teu intermédio, meu irmão, o coração de muitos crentes tem sido alegrado.

Paulo intercede por Onésimo

Por isso me sinto levado a pedir­te um favor, ainda que, estando ao serviço de Cristo, teria autoridade para te ordenar aquilo que é mais conveniente. Mas prefiro falar­te nisso como um pedido, pois que penso nos laços de verdadeira afeição cristã que nos unem. Lembra­te que sou o velho Paulo, que agora até está preso por ser um embaixador de Jesus Cristo. 10 Queria pedir­te por meu filho espiritual Onésimo, a quem levei a nascer de novo para Cristo na minha prisão. 11 É verdade que noutro tempo a sua vida te foi inútil. Mas agora vai tornar­se, tanto para ti como para mim, muito útil. 12 Por isso to tornei a enviar, e peço que o recebas como se fosse eu mesmo em pessoa.

13 Aliás bem gostaria de o conservar comigo, para que me ajudasse, em teu lugar, enquanto me encontro assim preso por causa do evangelho. 14 Mas não quis tomar essa decisão sem o teu parecer; se realmente quiseres fazer­me esse benefício, que não seja como forçado a isso, mas voluntariamente. 15 Também pode ser que, apesar de ele te ter fugido, durante algum tempo, agora tu o recuperes, mas definitivamente, 16 não já como escravo, mas muito mais como um irmão na fé em Deus, a quem eu em especial muito quero, mas a quem tu também ainda mais te afeiçoarás, visto que torna a ficar ligado à tua casa como trabalhador, e como um irmão no Senhor.

17 Assim pois, se me consideras como teu companheiro, recebe­o como se fosse eu mesmo. 18 E se te causou algum prejuízo ou te deve alguma coisa, põe isso à minha conta. 19 Eu, Paulo, escrevo isto com a minha mão: eu o pagarei. Mas olha que no fundo tu mesmo me deves aquilo que és espiritualmente.

20 Sim, irmão, o teu gesto dar­me­á muita alegria, e ficarei muito animado por aquilo que o Senhor te inspirar. 21 Aliás, ao escrever­te estou convencido de que farás o que te digo e até mesmo mais.

Saudações

22 Queria ao mesmo tempo pedir­te que me preparasses aí alojamento, porque espero, em resposta às vossas orações, poder ir visitar­vos.

23/24 Daqui mandam­te cumprimentos Epafras, que também está preso comigo por causa de Cristo Jesus, e ainda Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, todos meus colaboradores.

25 Peço a nosso Senhor Jesus Cristo que a sua graça esteja com o vosso espírito.