King James Version

Psalm 90

1Lord, thou hast been our dwelling place in all generations.

Before the mountains were brought forth, or ever thou hadst formed the earth and the world, even from everlasting to everlasting, thou art God.

Thou turnest man to destruction; and sayest, Return, ye children of men.

For a thousand years in thy sight are but as yesterday when it is past, and as a watch in the night.

Thou carriest them away as with a flood; they are as a sleep: in the morning they are like grass which groweth up.

In the morning it flourisheth, and groweth up; in the evening it is cut down, and withereth.

For we are consumed by thine anger, and by thy wrath are we troubled.

Thou hast set our iniquities before thee, our secret sins in the light of thy countenance.

For all our days are passed away in thy wrath: we spend our years as a tale that is told.

10 The days of our years are threescore years and ten; and if by reason of strength they be fourscore years, yet is their strength labour and sorrow; for it is soon cut off, and we fly away.

11 Who knoweth the power of thine anger? even according to thy fear, so is thy wrath.

12 So teach us to number our days, that we may apply our hearts unto wisdom.

13 Return, O Lord, how long? and let it repent thee concerning thy servants.

14 O satisfy us early with thy mercy; that we may rejoice and be glad all our days.

15 Make us glad according to the days wherein thou hast afflicted us, and the years wherein we have seen evil.

16 Let thy work appear unto thy servants, and thy glory unto their children.

17 And let the beauty of the Lord our God be upon us: and establish thou the work of our hands upon us; yea, the work of our hands establish thou it.

Nova Versão Internacional

Salmos 90:1-17

QUARTO LIVRO

Salmo 90

Oração de Moisés, homem de Deus.

1Senhor, tu és o nosso refúgio, sempre,

de geração em geração.

2Antes de nascerem os montes

e de criares a terra e o mundo,

de eternidade a eternidade tu és Deus.

3Fazes os homens voltarem ao pó,

dizendo: “Retornem ao pó, seres humanos!”

4De fato, mil anos para ti

são como o dia de ontem que passou,

como as horas da noite.

5Como uma correnteza, tu arrastas os homens;

são breves como o sono;

são como a relva que brota ao amanhecer;

6germina e brota pela manhã,

mas, à tarde, murcha e seca.

7Somos consumidos pela tua ira

e aterrorizados pelo teu furor.

8Conheces as nossas iniquidades;

não escapam os nossos pecados secretos à luz da tua presença.

9Todos os nossos dias passam debaixo do teu furor;

vão-se como um murmúrio.

10Os anos de nossa vida chegam a setenta,

ou a oitenta para os que têm mais vigor;

entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento,

pois a vida passa depressa, e nós voamos!

11Quem conhece o poder da tua ira?

Pois o teu furor é tão grande como o temor que te é devido.

12Ensina-nos a contar os nossos dias

para que o nosso coração alcance sabedoria.

13Volta-te, Senhor! Até quando será assim?

Tem compaixão dos teus servos!

14Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal,

e todos os nossos dias cantaremos felizes.

15Dá-nos alegria pelo tempo que nos afligiste,

pelos anos em que tanto sofremos.

16Sejam manifestos os teus feitos aos teus servos,

e aos filhos deles o teu esplendor!

17Esteja sobre nós a bondade do nosso Deus Soberano.

Consolida, para nós, a obra de nossas mãos;

consolida a obra de nossas mãos!