Chinese Contemporary Bible (Traditional)

耶利米書 6:1-30

耶路撒冷被圍

1便雅憫人啊,你們要逃離耶路撒冷

你們要在提哥亞吹響號角,

伯·哈基琳發出警報,

因為有大災難從北方逼近。

2我要毀滅美麗嬌弱的錫安城。

3敵人必圍攻她,

在她周圍安營紮寨,

如同牧人帶著羊群在她四周搭起帳篷。

4他們喊道,『準備作戰!

我們中午攻城。』

他們後來說,

『唉!日已西沉,天色漸暗。

5起來吧,我們要乘夜攻打她,

毀滅她的宮殿。』」

6萬軍之耶和華說:

「你們要砍伐樹木,

修築高臺圍攻耶路撒冷

因為這城充滿壓迫,

該受懲罰。

7她的邪惡如同泉水湧流不息,

暴力和毀滅層出不窮,

疾病和傷痛接連不斷。

8耶路撒冷啊,你要接受告誡,

否則我要離棄你,

使你荒無人煙。」

叛逆的以色列人

9萬軍之耶和華說:

「敵人要把以色列的餘民擄掠一空,

如同人摘葡萄摘得一個不剩。」

10我可以警告誰呢?誰會聽呢?

他們耳朵閉塞,什麼也聽不見!

看啊,耶和華的話逆耳,

他們毫不喜歡。

11耶和華啊,我怒你所怒,

無法容忍。

耶和華說:「你把我的怒氣發向街頭的孩童和聚集成群的青年。

丈夫、妻子和老人都要一同被擄。

12他們的房屋、田地和妻子都要被搶佔。

我要伸手攻擊這地方的居民。

這是耶和華說的。

13因為他們無論貴賤,

個個都貪圖不義之財;

無論是先知還是祭司,

都行為詭詐。

14他們敷衍了事地醫治我子民的傷痛,

說,『沒事了,沒事了!』

其實情況很糟。

15他們做可憎的事會羞愧嗎?

不!他們不知廉恥,

毫不臉紅。

因此,他們要與其他人一樣滅亡,

死在我的懲罰下。

這是耶和華說的。」

16耶和華說:

「你們要站在路口觀望,

尋訪古道,

找到正路並行在其上,

便會得到心靈的安寧。」

但你們卻說:「我們拒絕這樣做。」

17耶和華說:「我為你們設立守望者,

提醒你們要聽號角聲。」

但你們卻說:「我們不聽。」

18因此,耶和華說:

「列國啊,你們要聽!

眾見證人啊,要知道這些百姓的結局!

19地啊,聽著!

我要降災禍給這些百姓。

他們是自作自受,

因為他們沒有聽從我的話,

拒絕遵守我的律法。

20示巴運來乳香,

從遠方帶來菖蒲獻給我,

有什麼用呢?

我不悅納他們的燔祭,

不喜歡他們的牲畜。」

21因此,耶和華說:

「我要把絆腳石放在他們前面,

使父子一同絆倒,

鄰居和朋友一同滅亡。」

22耶和華說:

「看啊,有一個民族從北方來,

有一個強國從地極發動進攻。

23他們殘酷無情,毫無憐憫,

手持弓箭長槍,

騎馬奔來,聲勢如狂濤怒吼。

錫安城啊,他們準備列陣攻擊你。」

24我們聽到這風聲,手腳發軟,

痛苦萬分,

如分娩的婦人。

25不要去田野,

不要在路上走,

因為外面危機四伏,

仇敵殺氣騰騰。

26百姓啊,你們要身披麻布,

在灰中打滾;

你們要悲傷痛哭,如喪獨子,

因為毀滅者將突然臨到我們。

27耶和華對我說:

「我派你考驗我的子民,

就像冶煉金屬一樣,

好察驗他們的行為。

28他們頑固不化,

如銅如鐵,

四處譭謗,

極其敗壞。

29風箱猛力吹火,鉛也會熔掉;

但他們被煉了又煉,終是徒然,

因為他們的邪惡仍未除去。

30他們被稱為廢棄的銀渣,

因為耶和華已丟棄他們。」

O Livro

Jeremias 6:1-30

O cerco de Jerusalém

1Foge, povo de Benjamim, foge para poupares a vida! Foge de Jerusalém! Toquem o alarme em Tecoa! Enviem um sinal de fumo em Bete-Haquerem! Avisem toda a gente que um exército poderoso vem a caminho do norte para destruir esta nação! 2Desprotegida estás, formosa e delicada filha de Sião e, dessa forma, condenada. 3Maus pastores te rodearão; acampar-se-ão à volta da cidade; repartirão as tuas pastagens pelos seus rebanhos.”

4“Vejam-nos a prepararem-se para a batalha! Começou ao meio-dia. Durante toda a tarde se embraveceram, até caírem as sombras da noite.” 5“Vamos!”, dizem eles. “Ataquemos de noite e destruamos as suas fortalezas!”

6Porque o Senhor dos exércitos lhes disse: “Cortem as suas árvores, para construir tranqueiras e abater com elas os muros de Jerusalém. Esta é uma cidade a ser punida, porque tudo o que há nela é só perversidade. 7Jorra dela maldade como água duma fonte! As suas ruas ecoam com os ruídos de violência; as suas enfermidades e as suas chagas estão sempre patentes aos meus olhos.

8Muda, ó Jerusalém! Se não me quiseres ouvir, apartar-me-ei de ti e a terra ficará assolada e vazia. Desastres atrás de desastres cairão sobre ti. 9E até os poucos que ficaram em Israel serão colhidos em posteriores revoadas de ataques, diz o Senhor dos exércitos! Porque tal como o vindimador dá uma segunda volta pela vinha para apanhar cachos que tenham ficado esquecidos ou escondidos, assim também o meu povo será destruído novamente!”

10Mas quem é que me ouve quando os advirto? Têm os ouvidos fechados; recusam ouvir. A palavra do Senhor irrita-os; não têm nela nenhum interesse. 11É por causa disto tudo que estou cheio do furor do Senhor contra eles. Estou cansado de o conter.

“Derramá-lo-ei sobre Jerusalém, até sobre os meninos que brincam nas ruas; sobre os ajuntamentos de jovens, sobre os maridos e as esposas e sobre os velhos. 12Os seus inimigos viverão nos seus lares, ocuparão os seus campos e ficarão com as suas mulheres, porque hei de castigar a gente desta terra, diz o Senhor. 13São cobiçosos e mentirosos, desde o mais humilde até ao mais importante! Desde o profeta ao sacerdote todos se conduzem perfidamente. 14Não se pode tratar uma ferida fazendo de conta que não é uma ferida e que está tudo são! Pois é o que fazem os sacerdotes e os profetas que se põem a dar segurança de paz, dizendo: ‘Paz! Paz!’, quando não há paz! 15Acaso terá ficado o meu povo envergonhado, quando cometeu a abominação de adorar ídolos? Não, de maneira nenhuma! Antes pelo contrário! Eles sabem lá o que é corar de vergonha! Por isso, hão de cair entre os que forem assassinados; hão de cair sob a minha ira!”

16Mesmo assim, o Senhor insiste convosco: “Perguntem qual é a melhor estrada, o caminho de justiça, essas veredas antigas por onde costumavam andar. Vão por elas, e acharão repouso para as vossas almas. Mas vocês respondem: ‘Não, não é nessa direção que quero ir; não me interessa esse caminho!’ 17Pus sentinelas vigiando sobre vocês, as quais vos alertaram: ‘Estejam atentos ao toque da trombeta! Ela vai avisar-vos quando a aflição chegar.’ Mas a vossa resposta foi: ‘Não! Não estamos interessados em dar atenção a isso!’

18Esta é pois a minha sentença contra o meu povo! Ouçam bem, terras distantes, assim como Jerusalém! 19Que toda a Terra ouça isto: Trarei o mal sobre este povo; será isso o fruto do seu pecado, visto que não querem ouvir-me e rejeitam a minha Lei. 20De nada interessa agora porem-se a queimar incenso aromático de Sabá na minha presença! Fariam melhor em poupar esses perfumes caros! Não posso aceitar essas ofertas que para mim não cheiram a nada; nada significam. 21Farei, por isso, do caminho do meu povo uma espécie de pista de obstáculos, uma estrada minada onde serão apanhados e ficarão, tanto os pais como os filhos; vizinhos e amigos todos ali perecerão!”

22O Senhor diz: “Vejam esses exércitos que avançam desde o norte! Uma grande nação se prepara para vir sobre vocês! 23São gente cruel e sem piedade, armada até aos dentes, convenientemente preparada para a guerra. O barulho que faz o seu exército é como o rugir do mar.”

24Temos ouvido da fama desses exércitos e ficámos sem pinga de sangue, com o terror. O terror e sofrimento apanharam-nos e tiram-nos as forças, como se fôssemos mulheres na angústia e no aperto do parto. 25Não saiam para os campos! Não fujam pelas estradas! Porque o inimigo está por toda a parte, pronto a matar. O terror vos apanhará a cada esquina, a cada curva da estrada.

26Ó Jerusalém, o orgulho do meu povo, põe roupa de luto, senta-te sobre cinzas e chora amargamente como se fosse pelo teu único filho. Porque inesperadamente batalhões de soldados cairão sobre nós para nos destruir.

27“Jeremias, estabeleci-te como se fosses um aferidor de metais, para que pudesses testar o meu povo e determinar o seu verdadeiro valor. Ouve as suas falas e observa o que fazem. 28Todos eles são os piores dos rebeldes, cheios duma linguagem perversa e caluniosa; são insolentes e tão duros como o ferro e o bronze. 29O fole sopra furiosamente, o fogo refinador está cada vez mais ateado e quente, mas o facto é que não consegue depurá-los, pela simples razão de que não há nenhuma pureza neles. 30Só lhes convém a etiqueta ‘metal rejeitado’. Pô-los-ei de parte.”